7 Características dos Falsos Mestres

7 Características dos Falsos Mestres

“Assim como, no meio do povo, surgiram falsos profetas, assim também haverá entre vós falsos mestres” (2 Pedro 2:1)

Não há espaço para dúvidas nas palavras de Pedro. É uma afirmação clara e definitiva. Surgiram falsos profetas no meio do povo (de Israel no Antigo Testamento). Isso é uma questão de História.

Falsos profetas eram um problema constante no Antigo Testamento, e aqueles que alegavam falsamente ser profetas de Deus deveriam ser apedrejados. O povo raramente tinha disposição para lidar com eles, e então eles se multiplicavam, causando desastres na vida espiritual do povo de Deus.

Da mesma forma, Pedro diz: “Assim também haverá entre vós falsos mestres”. Observe as palavras “entre vós”. Pedro está escrevendo para a igreja e diz: “Haverá falsos profetas entre vós”. Então ele não está se referindo a pessoas da Nova Era na televisão. Ele está falando de pessoas na igreja local, membros de uma congregação local.

Não existe tal coisa como uma igreja pura deste lado do Céu. Você nunca vai encontrar uma. O trigo e o joio crescem juntos.

 

Warren Wiersbe escreve:

Satanás é o impostor. . . . Ele tem um falso evangelho (Gálatas 1:6-9), pregado por falsos ministros (2 Coríntios 11:13-12), produzindo falsos Cristãos (2 Coríntios 11:26). . . . Satanás planta seus impostores em qualquer lugar onde Deus plantar crentes verdadeiros (Mateus 13:38).

Autêntico ou Falsificado?

Como você reconheceria o Cristianismo falsificado?

Em 2 Pedro 1 lemos sobre crentes genuínos. E em 2 Pedro 2 lemos sobre crentes impostores. Se você colocar estes capítulos lado a lado você verá a diferença entre crentes autênticos e impostores.

1. Fontes Diferentes—De onde a mensagem vem?

Pedro diz: “Não vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo seguindo fábulas engenhosamente inventadas” (1:16). E então ele diz que os falsos mestres “farão comércio de vós, com palavras fictícias” (2:3). Assim, a fonte do que um verdadeiro mestre diz é a Bíblia. O falso mestre conta com sua própria criatividade. Ele inventa a sua própria mensagem.

2. Mensagem Diferente—Qual é a essência da mensagem?

Para um mestre verdadeiro, Jesus Cristo é o centro. “Pelo Seu divino poder, nos têm sido doadas todas as coisas que conduzem à vida e à piedade” (1:3). Para um falso mestre, Jesus não é importante: “[Os falsos mestres] introduzirão, dissimuladamente, heresias destruidoras, até ao ponto de renegarem o Soberano Senhor que os resgatou” (2:1).

Note a palavra “dissimuladamente”. É raro que alguém na igreja negue abertamente a Jesus. O afastamento da centralidade de Cristo acontece de forma sutil. O falso mestre falará de como outras pessoas podem ajudar a mudar sua vida, mas se você ouvir atentamente ao que ele está dizendo, você vai ver que Jesus Cristo não é uma parte essencial da sua mensagem.

3. Situação Diferente—Em que situação a mensagem te deixa?

O verdadeiro Cristão tem “escapado da corrupção, que, pela concupiscência, há no mundo” (1:4). Perceba como Pedro descreve o falso Cristão: “Prometendo-lhes liberdade, eles mesmos são escravos da corrupção, pois o homem é escravo daquilo que o domina.” (2:19). O verdadeiro crente está escapando da corrupção, enquanto o crente impostor é dominado por ela.

4. Caráter Diferente—Que tipo de pessoa a mensagem produz?

O verdadeiro crente busca a bondade, o conhecimento, o domínio próprio, a perseverança, a piedade, a fraternidade e o amor (1:5-7). O Cristão impostor é marcado por arrogância e difamação (2:10). Eles têm o “coração exercitado na avareza” e “os olhos cheios de adultério” (2:14). Eles também “desprezam as autoridades” (2:10). Essa é uma característica geral de um crente impostor.

5. Apelo Diferente—Por que você deveria dar ouvidos à mensagem?

O verdadeiro mestre apela às Escrituras. “Temos, assim, tanto mais confirmada a palavra profética, e fazeis bem em atendê-la” (1:19). Deus falou, e o verdadeiro mestre apela à Sua Palavra.

O falso mestre faz um apelo bem diferente: “Eles, com palavras de vaidosa arrogância e provocando os desejos libertinos da carne, seduzem os que estão quase conseguindo fugir daqueles que vivem no erro.” (2:18). Então, o verdadeiro mestre pergunta: “O que Deus disse em Sua Palavra?” O falso mestre pergunta: “O que as pessoas querem ouvir? O que será atrativo para a sua carne?”

6. Fruto Diferente—Qual resultado a mensagem produz na vida das pessoas?

O verdadeiro crente é operante e produtivo em seu conhecimento de Jesus Cristo (1:8). O impostor é “como fonte sem água” (2:17). Essa é uma figura extraordinária! Eles prometem muito mas produzem pouco.

7. Diferente Fim—Aonde a mensagem te leva no final das contas?

Aqui encontramos o contraste mais perturbador de todos. O verdadeiro crente terá “amplamente suprida a entrada no reino eterno de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo” (1:11). O falso crente trará sobre si “repentina destruição” (2:1). “Para eles o juízo lavrado há longo tempo não tarda, e a sua destruição não dorme.” (2:3).

Jesus nos diz que haverá muitas pessoas envolvidas no ministério em Seu nome a quem Ele dirá: “Nunca vos conheci; apartai-vos de mim” (Mateus 7:21-23). Quem são essas pessoas? Certamente Pedro está descrevendo-os nessa passagem.

Não Seja Ingênuo

Não devemos ser ignorantes: “Haverá entre vós falsos mestres” (2:1). Então, como colocamos em prática essa advertência?

Em primeiro lugar, a clara afirmação de Pedro nos lembra de que a Igreja precisa ser protegida. Entre as muitas pessoas maravilhosas que entram pelas portas da igreja a cada ano, algumas fariam mais mal do que bem.

Elas podem parecer as mais agradáveis das pessoas, mas não acreditam na autoridade da Bíblia ou na exclusividade da salvação em Cristo. Nós acolhemos essas pessoas, porque elas precisam de Cristo tanto quanto nós, mas não devemos permitir que elas influenciem a igreja.

Em segundo lugar, os céticos sempre serão capazes de apontar hipocrisia e inconsistência na igreja. Eles sempre fizeram isso, e sempre o farão. Uma das razões mais estranhas para não seguir a Cristo é a seguinte: “Tenho visto pessoas na igreja que são hipócritas”. Então você não vai seguir a Cristo porque algumas pessoas que dizem segui-lO são hipócritas?

A existência do falsificado nunca é uma boa razão para rejeitar o genuíno. Pedro nos diz, essencialmente, “Claro que existem Cristãos impostores. Claro que existem mestres que fazem mais mal do que bem à igreja. O que mais você poderia esperar neste mundo caído? Cresça! Não seja ingênuo! Não perca o que é real simplesmente porque você viu o falsificado”.

Aponte para 2 Pedro 2:1 na próxima vez que você encontrar alguém se escondendo por trás dessa desculpa.

 

Fonte: coalizaopeloevangelho.org

Anterior A Bíblia chama hipocrisia de pecado?
Próximo Os dons espirituais

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 706 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

FAQ - Dúvidas Frequentes 5 Comentários

Deus recompensa a mentira? (Josué 2:3-6)

Quando lemos Josué 2:3-6 percebemos que a prostituta Raabe mentiu a respeito da estadia dos dois espias na casa dela, quando eles eram procurados pelos moradores da cidade de Jericó

Crônicas para a Alma 0 Comentários

A saúde emocional é tão importante quanto a saúde física

Fortalecer o lóbulo frontal e cultivar bons pensamentos são algumas atitudes que fazem parte do “pacote” da boa qualidade de vida

FAQ - Dúvidas Frequentes 2 Comentários

Analfabetismo funcional e redes sociais

Três entre cada dez brasileiros têm limitação para ler, interpretar textos, identificar ironia e fazer operações matemáticas em situações da vida cotidiana – e, por isso, são considerados analfabetos funcionais.

1 Comentário

Deixe seu Comentário