Alma vivente

Alma vivente

“Então formou o Senhor Deus ao homem do pó da terra, e lhe soprou nas narinas o fôlego da vida, e o homem passou a ser alma vivente.” – Gênesis 2:7

Quando Deus criou Adão o fez do pó da terra e depois soprou nele o “fôlego da vida”. Perceba que Deus não soprou uma alma com formas ou um espírito com intelecto. Foi a união ou a introdução do fôlego soprado pelo Espírito Santo na estátua de barro feita por Deus que o homem surgiu com vida.

Deus usou pouco mais de 16 elementos tirados do “pó da terra” para formar o corpo de Adão. Qualquer coisa que o homem come vem da terra. Há cerca de 1.700 referências bíblicas sobre “alma” e “espírito”, mas nenhuma delas se refere a uma “alma” ou a um “espírito” imortal, indestrutível, eterno e que se liberte do corpo para continuar existindo consciente e com as formas humanas ou de animais como querem os que crêem na reencarnação. O homem não tem uma alma que pode viver fora do binômio corpo e espírito. Na Bíblia o homem com vida é chamado de “alma vivente”. Assim foi Adão e depois Eva e somos todos nós. Às vezes a Bíblia usa a palavra “alma” para se referir à parte intelectual do homem.

O espírito ou fôlego de vida ou respiração é o que Deus deu para a Adão quando o criou, e o que dele retirou 930 anos depois, quando morreu. Salmo 104:29, ensina que se Deus corta “a respiração, morrem e voltam ao pó.” Todo ser vivente incluindo os animais têm o mesmo fôlego de vida (Gênesis 1:30; 7:21 e 22; Eclesiastes 3:19-21).

No campo da natureza humana, a alma é a parte que peca e morre por causa do pecado. É neste particular que o homem é diferente dos animais e fica parecido com o Criador. O homem tem uma mente inteligente que pensa, escolhe, decide, ama e espera.

A alma nesse contexto não é o espírito e não deve ser confundida com o fôlego de vida. A alma também mencionada como mente e coração é na verdade a parte intelectual do homem, a faculdade que Deus tem; por isso podemos amar como Deus ama (Provérbios 23:7; I João 4:8) e crer e confiar nas promessas divinas. Uma destas promessas tem que ver com a restauração da nossa natureza pecadora para a gloriosa e eterna quando Jesus voltar.

Mas agora, amigo ouvinte, podemos desfrutar desta nova natureza nascendo de novo em Cristo Jesus. A única condição é termos “a mente de Cristo”, isto é, “vivermos como Ele viveu, tendo fé de que cumprirá o que prometeu se caminharmos com Ele até que tudo seja uma realidade” (I Coríntios 2:16).

Autoria desconhecida

Livro O Espiritismo Segundo a Bíblia: guia prático de estudos bíblicos

De maneira didática e respeitosa, o autor aborda em nove lições bíblicas os cinco pilares do espiritismo: reencarnação, o estado do homem na morte, a lei do karma, os médiuns e a lei da evolução.
Além disso, você conhecerá as diferenças entre aquilo que a Bíblia e o espiritismo ensinam sobre a Pessoa de Jesus Cristo. E terá argumentos importantíssimos para auxiliar amigos espíritas que tanto precisam conhecer mais de perto a Jesus Cristo.

Anterior O ser humano foi criado mortal ou imortal?
Próximo Os Mortos Tremem Debaixo das Águas? – Jó 26:5

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 437 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Sem categoria 0 Comentários

Ano novo: novas promessas ou novas atitudes?

Sempre que estamos próximos do ano novo sentimos uma incrível motivação para realizar novos votos, promessas e metas. Também costumamos sentir um arrependimento por aquilo que gostaríamos de ter feito

Sem categoria 4 Comentários

O cristão e o videogame

Os games realmente parecem apenas um passatempo, mas são um fenômeno que merece avaliação mais profunda. Desde que Steve Russel inventou, em 1962, o primeiro game, chamado Spacewar, houve até

Sem categoria 0 Comentários

Quatro pressupostos antibíblicos da teoria dos “sete papas” em torno de Apocalipse 17

Introdução – Especialmente na internet tem circulado uma teoria especulativa em torno do livro do Apocalipse que, obviamente, não possui embasamento bíblico e histórico na interpretação de Apocalipse 17:9-11. Antes

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comente este artigo!