Como entender a promessa de falar “novas línguas”, em Marcos 16:17?

Como entender a promessa de falar “novas línguas”, em Marcos 16:17?

Alberto R. Timm

Como o conteúdo de Marcos 16:9-20 não aparece nos manuscritos gregos mais antigos e melhores, especialistas em crítica textual do Novo Testamento têm sugerido que o evangelho de Marcos terminava, originalmente, com o verso 8 do capítulo 16. Diante disso, se poderia argumentar que o texto de Marcos 16:17 não compartilha da mesma autoridade canônica que o restante do Evangelho.

Mas independente de aceitarmos ou não o conteúdo de Marcos 16:9-20 como parte do Cânon Sagrado, é importante observar que, na expressão “novas línguas” de Marcos 16:17, o termo original grego para “novas” é kainós (novas línguas para quem fala) e não néos (línguas até então desconhecidas). Isso significa, portanto, que essas “novas línguas” dizem respeito às mesmas línguas de nações mencionadas em Atos 2:4 como “outras línguas”, plenamente compreensíveis às respectivas pessoas que as reconhecem como suas línguas maternas (At 2:6, 8 e 11).

O fato de Mateus 16:17 colocar o dom de falar em “novas línguas” como parte dos “sinais” que haveriam de acompanhar aqueles que cressem, não significa que esse dom deveria ser concedido a todos os crentes em todas as épocas e lugares. Assim como os cristãos não haveriam, obviamente, de pegar “em serpentes” todo tempo (verso 18), também não é de se esperar que eles devessem falar sempre em “novas línguas”. Além disso, Paulo esclarece que o dom de línguas é dado apenas a alguns crentes, havendo uma necessidade concreta que justifique a sua manifestação (ver 1Co 12:4-11, 28-30).

Clique nesta imagem para ir ao site e conhecer o conteúdo do áudio livro

Anterior Há alguma semelhança entre nós e o templo como habitação de Deus?
Próximo O que a Bíblia diz sobre o anticristo?

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 500 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Bons Debates 1Comentários

A verdade sobre o novo código penal boliviano e a Liberdade Religiosa

Dias depois de se encontrar com o Papa, Evo Morales é alvo dos protestos vindos não só do Vaticano e de outras denominações cristãs, mas de todas as confissões religiosas

Bons Debates 18 Comentários

Falsos argumentos contra o dízimo

Por Leandro Quadros e Nelson Wasiuk Muitos argumentam contra a vigência do sistema de dízimos fazendo uso de textos bíblicos fora de contexto e de argumentos extremamente fracos. Um dos

Bons Debates 2 Comentários

Os “sábados” em Colossenses 2:16

“Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados”. (Colossenses 2:16) Tradicionalmente, como igreja, ensinamos que os

1 Comentário

  1. zilda
    abril 18, 18:42 Resposta

    Eu também não aceito essas línguas que falam sem ninguém interpretar, está muito claro, Paulo diz que tem que ser interpretada a palavra em línguas estranhas. Está tudo
    tudo errado, que espíritos são esses que o povo está recebendo?

Deixe seu Comentário