Apologética Cristã

É a minha Bíblia igual a que foi escrita pelos profetas?

Olá meus amigos! A seguir compartilho com vocês esta entrevista feita pelo Pr. Fernando Iglesias ao Dr. Rodrigo Silva. Nela você poderá tirar as suas dúvidas sobre a veracidade e confiabilidade da Palavra de Deus. Forte abraço!

É a minha Bíblia igual a que foi escrita pelos profetas?

Era o Séc. XV, e Johannes estava em sua joalheria na cidade de Strasburg, na Alemanha.

Enquanto Johannes polia uma pedra e a colocava na direção da luz, pensava no quanto adoraria ter um bom livro para ler. Mas no século XV os livros eram manuscritos, e por isso eram raros e muito caros.

As idéias fervilhavam na cabeça do joalheiro Johannes, que não gostava nada do fato de só os sacerdotes e nobres poderem ter livros. Tinha que ter um jeito de se reproduzir livros mais rápido e mais barato!

Johannes continuava trabalhando quando pegou um anel com sinete, um carimbo que se usa para selar cartas. Na mesma hora teve uma idéia!

Fundir o anel, formando um desenho em alto relevo foi à idéia de Johannes, correu para pôr em prática seu plano.

Como o resultado ainda não deixou Johannes Gutenberg satisfeito, entalhou as letras em uma madeira e pintou as partes em relevo. Eureka! Johannes Gutenberg havia acabado de inventar a imprensa!

Logo Gutenberg perceberia que a madeira não duraria muito e trocaria os blocos de madeira por outros de metal.

Um dos primeiros a ver a invenção de Gutenberg foi o Bispo, que logo encomendou 300 cópias da Bíblia, prometendo pagar muito bem.

Hoje muitos sabem que Gutenberg foi o inventor da imprensa, mas não sabem que a Bíblia foi o primeiro livro impresso por ele.

A Bíblia de Gutenberg, primeiro livro impresso no mundo, foi feita em 1454 e tinha 1282 páginas. Das trezentas primeiras Bíblias que ele fez, ainda existem 45 no mundo.

Mas se a primeira Bíblia de Gutenberg foi escrita á pouco mais de 500 anos e dela só restam 45 cópias, será que ainda temos cópias dos textos originais escritos pelos PROFETAS?

De que data é o texto mais antigo que ainda existe?

Posso acreditar que o que leio hoje em minha Bíblia é o mesmo que foi escrito pelos profetas? E pra que Deus iria querer escrever um livro?

Vou mostrar a vocês daqui a pouco uma entrevista FANTÁSTICA que fizemos com um ARQUEÓLOGO EXPERT NO ASSUNTO, MAS ANTES, quero confessar que algumas vezes me peguei fazendo estas mesmas perguntas.

E a pergunta que mais me intrigava era: Por que Deus iria querer se comunicar comigo escrevendo um livro?

Como isto me incomodava, caí de cabeça numa pesquisa.

Bem, se a Bíblia era mesmo o livro de Deus, dentro dela deveria haver alguma explicação para isto.

Quero contar para você uma pequena parte do que encontrei em minha pesquisa sobre Por que Deus iria querer se comunicar com o Homem usando a Bíblia.

Vou ler para você Gênesis 3:8 e 9 diz: “E ouviram a voz do Senhor que passeava pelo jardim pela viração do dia; e escondeu-se Adão e sua mulher da presença do Senhor Deus, entre as árvores do Jardim, e chamou o Senhor Deus a Adão e disse: Onde estás?”

A primeira coisa interessante é que Adão e Eva falavam com Deus face a face antes do pecado.

Você é capaz de imaginar o privilégio de Adão e Eva? Eles podiam ter a própria “Palavra” junto deles, porque Jesus é o “Verbo” ou a “Palavra”.

Mas o tempo foi passando e o Homem foi se afastando cada vez mais de Deus. Estava tão longe de Deus que não podia mais ver a Deus face a face.

Encontrei em Êxodo, um pedido que Moisés fez a Deus.

Êxodo 33:18 “Rogo-te que me mostres a tua glória”, mas o Senhor respondeu versos 21 a 23 “Não poderás ver a minha face, porquanto homem nenhum verá a minha face e viverá…”

Na verdade Deus também desejava poder conversar com Moisés face a face, deixar com que o homem ouvisse a sabedoria vindo da “Palavra” em Pessoa, mas o homem cada vez fugia para mais longe de Deus.

Então Deus inspirou a Moisés para que escrevesse a Bíblia.

E a Palavra, o Verbo, a pessoa de Deus poderia ser encontrada na Palavra Escrita de Deus.

Encontrei na Bíblia, no livro de Atos 7:22 o seguinte “E Moisés foi instruído em toda a ciência dos egípcios e era poderoso em suas palavras e obras”.

Fiquei arrepiado só de pensar que quando era pequeno meu pai contava a história do bebê Moisés, que por causa de uma lei que mandava assassinar bebês judeus, foi colocado pela mãe em um sexto de junco e depois foi encontrado pela filha de Faraó.

Não foi por coincidência que Moisés, o escolhido de Deus foi para o palácio de Faraó, mas para ser preparado para começar a escrever o livro de Deus. Moisés escreveu os cinco primeiros livros da Bíblia.

Fernando Iglesias: – Rodrigo, obrigado por estar aqui conosco e a primeira pergunta que eu tenho é simples, a Arqueologia é uma ciência?

Prof. Rodrigo: – Sim a Arqueologia é uma ciência relativamente nova, ela é de 1780 pra cá, e ela procura desvendar o passado, é como se entrássemos no túnel do tempo e através da arqueologia conseguíssemos descobrir as origens da humanidade e da civilização.

Fernando Iglesias: – Bem, nós acabamos de dizer aqui que você é Doutor em Teologia e que tem especialização em Arqueologia. Arqueologia é uma Ciência como você acabou de falar e as pessoas pensam que não combina muito Ciência com Religião, com Fé. As duas, Ciência e Religião combinam?

Prof. Rodrigo: – Foi bom você fazer esta pergunta, Fernando, existe um mito popular de que Ciência e Religião não se combinam e também que Fé e Razão são dois oponentes. Isto é uma inverdade. Se nos pegarmos à história da Ciência Moderna, vamos descobrir que os grandes pioneiros da Ciência, os verdadeiros pais da Ciência, como Sir Isac Newton, Bleise Pascal, apenas a guisa de ilustração eram cientistas e eram também crentes religiosos que acreditavam em Deus e na Bíblia.

Fernando Iglesias: – Certo, qual seria então a contribuição que a Arqueologia dá para Bíblia? Ou Para aqueles que querem crer na Bíblia?

Prof. Rodrigo: – É interessante que nós devemos evitar alguns extremos. Eu não posso através da Arqueologia provar Doutrinas Bíblicas como por exemplo a Divindade de Jesus Cristo, ou se o Espírito Santo é uma pessoa. Isto não é papel da Arqueologia, essas são doutrinas que demandam do estudo da Bíblia, é um ato de fé. Mas através da Arqueologia eu consigo duas ferramentas muito importantes. A primeira delas é verificar se a história que a Bíblia apresenta é digna de confiança. Aí eu tenho um axioma muito simples de compreender, que pela lógica se a História que a Bíblia apresenta é digna de confiança, a Teologia que está por detrás dessa História também será digna de confiança. Além disso também tem um fator prático na Arqueologia. Ela me ajuda a compreender alguns costumes, tradições expressões da época em que a Bíblia ainda estava sendo escrita, produzida pelos profetas de Deus.

Fernando Iglesias: – Bem, nós sabemos que o primeiro livro que Moisés escreveu foi o Livro de Jó. Mas dá certo assim essa idade em que a escrita foi inventada, na época de Moisés, ou seja, a Arqueologia mostra que já havia escrita, quando Moisés viveu aqui na Terra?

Prof. Rodrigo: – Sim, com certeza; nós já temos registros da escrita como invenção humana datada do terceiro milênio Antes de Cristo. Moisés está situado por volta de 1400 AC, que é a data que alguns dão para o Êxodo. Então você vê que bem antes de Moisés já havia escrita. O que muitos questionam é se havia uma escrita alfabética complexa o bastante para justificar a produção de um livro como o Gênesis, o Êxodo, Levítico, Números e os demais livros que ele escreveu. E a resposta é sim. Mas hoje achados como, por exemplo, este tablete aqui, este é uma réplica , o original está no Museu do Louvre (Paris-França), mostra que já havia na época de Moisés uma escrita alfabética muito complexa como gramática, verbos, modos verbais e tudo mais, Moisés tinha á sua disposição não apenas uma forma alfabética de escrever, mas um bom vocabulário.

Além disso, nós temos alguns documentos, este é uma outra réplica de um papiro, que cujo original está hoje no Museu da Holanda, que também demonstra outro tipo de escrita que havia no tempo de Moisés. Este aqui é um dos escritos demóticos que era um dos ancestrais do egípcio, uma das formas egípcias de escrever. Este aqui me chama atenção pra uma coisa. Este papiro, o original dele, como falei, está no museu da Holanda, traz o relato de um sacerdote egípcio chamado Ipuver que faz uma oração ao deus Órus, um dos principais deuses dos egípcios, reclamando de desgraças que estavam caindo sobre a terra do Nilo. Ele menciona o rio sagrado do Nilo se transformando em sangue. Isto lembra as pragas. Eu consigo identificar aqui seis das dez pragas descritas por Moisés no Êxodo, ou seja, a Bíblia não é a única que testemunha a ocorrência de pragas sobre o Egito.

Fernando Iglesias: – Esses objetos que você acabou de mencionar são fantásticos e são evidências da História da Bíblia. Agora eu queria saber se existem evidências de que a Bíblia que temos hoje é a mesma que foi escrita pelos profetas?

Prof. Rodrigo: – Existe uma ciência também enraizada na Arqueologia, chamada Papirologia, que é o estudo especializado dos manuscritos e documentos antigos. Eu não tenho hoje nenhum original dos Apóstolos, ou seja, a carta aos Coríntios como saindo da pena do Apóstolo Paulo, mas nós temos cópias de documentos antigos que me permitem, de maneira científica, traçar o texto até como ele saiu realmente das mãos do Apóstolo Paulo. E realmente é uma ciência muito séria. Há comitês internacionais e vários desses manuscritos. Só do Novo Testamento eu tenho cerca de cinco mil cópias antigas, muitas delas datadas. Não é trabalho tendencioso, de um grupo específico, de uma religião específica. Pessoas até não religiosas, fazem parte deste trabalho. Agora um argumento que eu gostaria de dar, que me oferece confiabilidade textual na Bíblia é um argumento que não vem do mundo técnico, mas até do mundo leigo. Muitas pessoas quando lêem a Bíblia se deparam com aparentes contradições históricas que chegam a chocar algumas pessoas, por exemplo, um evangelho mencionando que Jesus encontrou um endemoniado em Gadara (Marcos 5:2), ao passo que outro diz que eram dois endemoniados (Mateus 8:28), não apenas um. E as pessoas se assustam porque Deus permitiu essas contradições históricas. A meu ver essas contradições históricas, se é que podemos chamar de contradições, foram uma permissão de Deus para me dar á certeza hoje no século XXI, de que dois mil anos de produção só do Novo Testamento, sem contar o antigo, Deus não permitiu que nenhuma mão posterior aos apóstolos, quer seja de uma religião, quer seja de uma entidade, modificasse o texto bíblico, nem para consertar ou arrumar aquilo que eventualmente poderia trazer um certo constrangimento ao cristianismo.

Fernando Iglesias: – E aquilo que você citou que não é uma tendência de nenhum grupo e isso me faz pensar, alguns pensam que cada religião tem a sua própria Bíblia e que a Bíblia foi muito modificada e que ela é do gosto de cada religião. É assim mesmo? Cada um tem a sua Bíblia?

Prof. Rodrigo: – Este é outro mito popular que também não procede. Essa idéia de bíblia dos crentes, bíblia dos católicos. O mais próximo que poderíamos chegar para dizer isso, é que há realmente seitas que procuram ter uma versão própria da bíblia, mas não tem um número tão expressivo, são ínfimos, minoria, até poderia dizer. Mas de maneira geral as Bíblias que nós temos no mundo só diferenciam em termo de versões, ou seja a tradução mais para a linguagem dos jovens, há uma outra tradução mais erudita, mas são versões da mesma e única Sagrada Palavra de Deus. Portanto a Bíblia é uma só, e eu posso ter a certeza de que estou diante de um livro histórico como a própria Arqueologia confirma.

Clique nesta imagem para ir ao site e conhecer o conteúdo do áudio livro

Veja mais sobre a Bíblia aqui:

Fernando Iglesias: – Eu quero agradecer você Rodrigo por participar conosco do Programa Está Escrito e convidar você para que continue meditando conosco.

Outro dia recebi pela INTERNET um texto sobre a Bíblia que me deixou tão maravilhado que me deu vontade de compartilhar com você.

* Você sabe qual é o capítulo que está no centro da Bíblia? É o Salmo 118.

Ele é o centro da Bíblia porque existem exatamente 594 capítulos antes do Salmo 118 e 594 capítulos depois dele.

Se você somar 594+594= Isto dará 1188, que embora não seja um número idêntico ao do Salmo 118 que é o centro da Bíblia, é muito parecido com ele.

Mas pra falar a verdade isto se torna sem importância quando descobrimos que o versículo que está no centro da Bíblia é Salmo 118:8.

Com tantas coincidências propositais assim, se você é tão curioso como eu, acho que também deve estar morrendo de vontade de saber o que diz o texto de Salmos 118:8.

Pois aí vai: “Melhor é colocar sua confiança no Senhor teu Deus que confiar nos homens”.

Você não acha que é a mensagem ideal para quem está em dúvida sem saber direito se acredita no que Deus diz sobre a sua palavra a Bíblia, ou se acredita no que tantos homens dizem sobre ela?

Eu estava acabando de sair da igreja quando uma pessoa me procurou.

Tinha os olhos cheios de lágrimas enquanto seu rosto carregava um largo sorriso. Ele me disse: – Sabe Fernando, você abriu a palavra e pregou de um Deus que transforma vidas, mas eu quero dizer pra você que para mim isto é a realidade.

Um dia, Deus me alcançou dentro de uma prisão através de sua palavra, e hoje tudo o que eu consegui reconstruir em minha vida eu devo à Bíblia.

Na verdade eu poderia gastar a minha vida toda apresentando a você provas científicas de que a Bíblia é a palavra de Deus. Mas nenhuma delas teria a força da maior de todas as provas que tenho visto durante toda a minha vida: Eu tenho visto a Bíblia transformando vidas!

Eu não sou nada! Todos os dias quando eu acordo e olho no espelho, sinto em meus ombros um peso enorme que não sou capaz de carregar. Então abro a palavra de Deus, e dela flui vida, força, paz, vontade de vencer e de viver. Que tal provar disto também? É só querer!

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *