Entenda melhor as 2.300 tardes e manhãs de Daniel 8:14

Entenda melhor as 2.300 tardes e manhãs de Daniel 8:14

Alguns estudiosos se surpreendem quando subtraem 457 (a data da saída da ordem para restaurar Jerusalém) de 2.300 e notam que não atinge o ano de 1844 como data terminal das 2.300 tardes e manhãs de Daniel 8:14. Nesse tipo de conta o resultado óbvio é 1843. Se desejamos saber matematicamente quando o referido período terminou não podemos simplesmente subtrair 457 de 2.300 pelo fato de que o primeiro montante é uma data e o segundo corresponde a número de anos. Número de anos se subtrai de número de anos, e não de datas ou vice-versa. Assim temos de converter a data de 457 a.C em número de anos a.C e então subtrai-los de 2.300 para chegarmos ao fim desse período.

O decreto de Artaxerxes emitido em 457 a.C (7º ano de seu reinado) foi posto em execução no outono desse ano, isto é, faltando mais ou menos 1/4 do ano para que este terminasse, já que o ano possui 4 estações, considerando que no hemisfério norte o outono começa entre o fim de setembro e o início de outubro. Portanto, a data é 457 a.C, mas o número de anos é 456 completos mais 1/4 de 457, que ainda faltava transcorrer. Assim temos:

? Data: 457 a.C

? Número de anos a.C: 456+1/4

“Sabe e entende: desde a saída da ordem para restaurar e para edificar Jerusalém, até ao Ungido, ao Príncipe, sete semanas e sessenta e duas semanas; as praças e as circunvalações se reedificarão, mas em tempos angustiosos” (Daniel 9:25).

Considerando que até o batismo de Jesus (até ao Ungido) passar-se-iam 483 anos, conforme o texto acima. Temos o seguinte cálculo:

? 7 semanas + 62 semanas = 69 semanas.

Aplicando o princípio dia-ano em profecia, cada dia equivale a um ano.

? 69 semanas x 7 dias = 483 dias (ou anos proféticos).

Agora podemos subtrair o quantidade de anos a partir do ano 457 a.C., considerando que há 456 anos + 1/4 de ano completados. Então temos o seguinte cálculo:

? – 456 (mais 1/4) + 483 = 26 (mais 3/4).

Ou seja, passados 26 anos completos da era cristã, mais 3/4 do ano seguinte ocorre o batismo de Jesus, ou seja, no outono de 27 a.D. Assim temos:

? Data: 27 a.D.

? Número de anos a.D: 26+3/4

O evento do Calvário ocorreu 3,5 anos depois do batismo. Como a conta envolve quartos e não meios, devemos considerar 3+2/4 como equivalentes a 3,5 e adicioná-los a 26+3/4. O resultado será 29+5/4, ou 30+1/4. A cruz foi levantada 30 anos completos depois de Cristo mais 1/4 do ano seguinte, isto é, a primavera de 31 a.D (e sabemos que Cristo morreu por ocasião da Páscoa). Assim temos:

? Data: 31 a.D.

? Número de anos a.D: 30+1/4

Até a morte de Estêvão são mais 3,5 anos, e as 70 semanas, ou 490 anos, chegam ao fim. Somando 3+2/4 a 30+1/4 chegamos a 33+3/4 do ano seguinte, o outono de 34 a.D. Assim temos:

? Data: 34 a.D.

? Número de anos a.D: 33+3/4

Subtraindo 490 (o número de anos correspondentes às 70 semanas) de 2.300 (também número de anos) sobram 1810 anos que somados a 33+3/4 (quando terminam os 490 anos ou 70 semanas) chegamos a 1843+3/4 do ano seguinte, o que corresponde a outono de 1844. Assim temos:

? Data: 1844 a.D.

? Número de anos a.D: 1843+3/4

Chegamos a esse mesmo resultado subtraindo 456+1/4 de 2300. Em outras palavras, esse período profético termina em outubro de 1844.

 

Clique nesta imagem para ir ao site e conhecer o conteúdo do áudio livro

Anterior O Santuário Celestial
Próximo Bruxas ou Bíblias?

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 518 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Bons Debates 0 Comentários

Há alguma semelhança entre nós e o templo como habitação de Deus?

Não é o templo que é comparado a nós, mas nós que somos comparados ao templo. Isso se dá porque somos habitação do Espírito Santo, se o permitirmos. Embora todas

Bons Debates 0 Comentários

Como devemos tratar o nosso próximo?

Jesus declarou em Lucas 10:27-28: “Respondeu-lhe ele: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo

Bons Debates 18 Comentários

Falsos argumentos contra o dízimo

Por Leandro Quadros e Nelson Wasiuk Muitos argumentam contra a vigência do sistema de dízimos fazendo uso de textos bíblicos fora de contexto e de argumentos extremamente fracos. Um dos

2 Comentários

  1. Fabiano Roberto
    novembro 07, 22:39 Resposta

    Como as 2300 tardes e manhas são anos, se Daniel tinha como base o calendario lunar e nós usamos o calendario Gregoriano?
    Pelo calendario lunar essa conta nao poderia chegar a esse ano pois no calendario lunar é um dia a menos por mês, logo, a um equivoco nessa conta.

Deixe seu Comentário