Bons Debates

Existe o sábado lunar?

Se o tempo do sábado fosse determinado pela Lua, então o sábado teria que ser observado em dias diferentes durante o mês e não no sétimo dia de cada semana. O sábado poderia ser qualquer dia da semana, baseando-se no horário da lua nova. Permita-me fazer as seguintes observações:

    1. O Calendário Israelita: O calendário israelita era lunisolar, o que significa que o tempo era medido pela lua nova (a rotação da Lua ao redor da Terra) e também do Sol (a rotação da Terra ao redor do Sol). Um calendário lunar, de doze meses, é cerca de onze dias mais curto que o calendário solar, que é de aproximadamente 365 dias. No mundo antigo, isso era resolvido com o acréscimo de um mês extra, sete vezes em dezenove anos. Na Bíblia, o calendário lunar foi utilizado para fixar o prazo para as festas. Por exemplo, 14 dias após a lua nova era a Páscoa (Nm 28:16). Por isso, algumas pessoas argumentam que o sábado deveser observado sete dias após o primeiro dia do mês.
Clique nesta imagem para ir ao site e conhecer o conteúdo do áudio livro
  1. O Sábado e a Lua: No princípio do século XX, a conexão entre o sábado e a Lua era proposta e defendida por um bom número de estudiosos. Eles rejeitaram a origem bíblica do sábado e sugeriam que sua origem estava relacionada a vários “dias satânicos” no calendário babilônico, incluindo o dia de lua cheia, durante o qual o povo descansava. Tratava-se de uma seqüência não composta de sete dias – primeiro, sétimo, décimo quarto, décimo nono, vigésimo primeiro e vigésimo oitavo dias do mês. Essa teoria foi, então, abandonada.
  2. Gênesis 1 e o Sábado: A origem do sábado bíblico está definitivamente conectada com a semana da criação. O sábado foi instituído por Deus três dias depois da criação da Lua (Gn 1:14; 2:2), não o sétimo dia após o primeiro dia do mês. Era para funcionar independente do mês em uma seqüência específica de dias desconectados da Lua e do Sol, mas fundamentado tão-somente no poder de Deus sobre o tempo. O lugar sétimo do sábado está relacionado com a passagem do tempo, desde o início da atividade criativa de Deus no planeta Terra, até seu final. Com certeza, esse é um ato divino singular, ou seja, a fragmentação do tempo numa seqüência de sete dias exclusivamente fixada e governada pelo próprio Deus.
  3. O Sábado e as Festas: O sábado lunar implicaria no fato de que seria parte das festas judaicas, mas esse não é o caso. O sábado do sétimo dia foi instituído muito antes das festas terem sido dadas aos israelitas. O termo hebraico traduzido para “festas, festivais”, é môcadîm, que significa “fixado/tempo determinado, reuniões”. Refere-se a atividades não necessariamente datadas pelo calendário lunar (Jr 8:17; Os 2:9). Mesmo que alguém argumente que o termo se refere ao sábado, isso não quer dizer que o tempo do sábado foi fixado pela Lua (cf Lv 23:2). Além disso, a Bíblia deixa claro que o sábado deve ser diferenciado das festas (Lv 23:37, 38).
    Finalmente, o descanso sabático era diferente do descanso requerido durante os sábados cerimoniais. Levítico 23:3 declara que, durante o sábado, os israelitas não deveriam fazer “nenhuma obra”. Mas durante o tempo de santa convocação, o povo não deveria fazer “nenhum trabalho regular” (23:8, 21, 25, 35, 36, NVI). Isso indica que havia um tipo de trabalho que era permitido fazer durante as festas e que eram proibidos durante o sábado. (Ángel Manuel Rodríguez)
  4. Calendário gregoriano: Um detalhe que muita gente não sabe é que nem Júlio César nem o Papa Gregório XIII alteraram a ordem dos dias da semana e sim ajustaram astronomicamente o calendário. Corrigiu-se a medição do ano solar, o ano gregoriano dura em média 365 dias, 5 horas, 49 minutos e 12 segundos, ou seja, 27 segundos a mais do que o ano trópico .[1]

Veja aqui a resposta do Dr. Rodrigo Silva:

Leia também: O calendário lunar e a guarda do sábado

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *