Identificando Miguel na Bíblia

Identificando Miguel na Bíblia

O ANJO DE YAHWEH, MIGUEL E CRISTO

Você pode ver uma ligação clara entre Miguel, o chefe dos príncipes (Dan 10:13.), com Cristo, o Príncipe dos exércitos (Dan 8:11.) e o título de Anjo de Yahweh (Êxodo 3:1- 15).

A expressão hebraica ??? ????? ??????? (echad hasarim Harishonim) de Daniel 10:13, deve ser traduzido literalmente como “príncipe-chefe”, porque a palavra hebraica ??? (echad) que geralmente se traduz como “um” também significa primeiro (Jacques B. Doukhan, Secrets of Daniel, página 163). Portanto, Miguel é o comandante em chefe do exército angélico. Esse papel é desempenhado pela “Palavra de Deus” em Apocalipse (19:11-14), isto é, Cristo (Apocalipse 17:14). Esse mesmo cargo é apresentado nos Evangelhos (Mat 24:30, 31, 25:31).

Em Daniel 8:11 expressão hebraica ??-???? (sar-hatzaba ‘), que se traduz como “o príncipe, ou o jefe dos exércitos”, é um título que Daniel aplica ao “Messias Príncipe” nesse versículo.

Em Êxodo 3:2, o “Anjo do Senhor” apareceu a Moisés no meio de um arbusto. Então, quando Moisés se aproximou, o “Anjo do Senhor” falou como Deus (3:4), identificou-se como o EU SOU (3:14) e como Yahweh (3:15). Por esse motivo, muitos comentaristas bíblicos vêem uma conexão entre o “Anjo de Yahweh” e Cristo em João 8:56-58.

As aparições do anjo de Yahweh são muitas vezes apresentadas como teofanias. Em Êxodo 3:2-6 “O Anjo do Senhor” (???? ????) apareceu a Moisés em uma chama de fogo, e, em seguida, “Yahweh” (????), diz: “Eu sou o Deus de teu pai.” Compare também Gênesis 22:11; Juízes 6:11-22. Às vezes, o “Anjo de Yahweh” fala de tal maneira que ele assume autoridade sobre as promessas anteriores (ver Gênesis 16:11 e 21:17).

Não é que o Anjo de Yahweh seja o Pai, mas ele age com a mesma autoridade, assim como Cristo faz.

O anjo do Senhor é identificado por alguns cristãos primitivos, como Justino Mártir, como o Cristo pré-encarnado cuja aparência, a cristofania, está registrada na Bíblia hebraica. Por isso que alguns cristãos primitivos viam Jesus como o Anjo do Senhor.

Susan Garrett diz: “Então, quando os primeiros escritores cristãos como Justino Mártir conectam Jesus com a “Palavra de Deus” e a Palavra, por sua vez, com o “Anjo do SENHOR”, eles não estavam inventando isso do nada, mas adicionando um novo nível às formas bem estabelecidas de ler as Escrituras. (Garrett, Susan R. (2008) Um Anjo incomum. Espíritos celestes e reivindicações cristãs sobre Jesus.  Yale University Press ISBN 978-0-300-14095-8 p 27)

A mensagem da Bíblia é clara.

Rafael Montesinos

O “Anjo de Jeová”

Anterior Não perca tempo com os brigões
Próximo Disciplina Eclesiástica: Evitando os Extremos

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 485 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Apologética Cristã 1Comentários

O Domingo na Nova Aliança

O Sábado e o Domingo na Nova Aliança A questão das alianças (ou concertos) tem sido muito distorcida e mal compreendia. Brevemente, permita-me informar o que a Antiga Aliança não

Apologética Cristã 3 Comentários

As leis de alimentação de Levítico 11 não mais estão em vigor?

Ao estudarmos Levítico 11, podemos pontuar algumas coisas importantes: 1. O capítulo é formado de seis seções principais. Cada seção se inicia usando a palavra estes, esses, esta (vs. 2,

Apologética Cristã 2 Comentários

O vinho do casamento em Caná

Os moderacionistas vêm a milagrosa transformação de água em vinho feita por Cristo no casamento de Caná da Galiléia como prova primária de que Jesus sancionou o uso de bebidas alcoólicas. Eles argumentam que, se Jesus produziu entre 450 e 600 litros de vinho alcoólico de alta qualidade para a festa de casamento e convidados em Caná, seria evidente que Ele aprovou seu uso com moderação.

1 Comentário

  1. Escravo de Cristo
    março 03, 12:49 Resposta

    Pr. Leandro, as supostas contradições bíblicas, na maioria das vezes, são fáceis de serem respondidas. Mas, até agora, não achei uma resposta razoável para a aparente contradição em Atos 10:19 x Atos 11:11.

    Afinal, quantos foram enviados a Pedro? Dois ou três homens?

    Apesar de ser uma dúvida bem acessória e que em nada prejudica a nossa fé, estou desejoso de saber o porquê da divergência dos registros.

    Graça e Paz.

Deixe seu Comentário