Na transfiguração Jesus se encontrou com Moisés e Elias: como isso foi possível?

Na transfiguração Jesus se encontrou com Moisés e Elias: como isso foi possível?

Qualquer tentativa de justificar a teoria espírita da reencarnação, com base no relato da transfiguração, está em direta oposição ao claro ensinamento bíblico de que “aos homens está ordenado morrerem uma só vez vindo depois disso o juízo” (Hebreus 9:27).

Este relato encontra-se em Mateus 17 (e também em Lucas 9).

“Seis dias depois, tomou Jesus consigo a Pedro e aos irmãos Tiago e João e os levou, em particular, a um alto monte. E foi transfigurado diante deles; o seu rosto resplandecia como o sol, e as suas vestes tornaram-se brancas como a luz. E eis que lhes apareceram Moisés e Elias, falando com ele. Então, disse Pedro a Jesus: Senhor, bom é estarmos aqui; se queres, farei aqui três tendas; uma será tua, outra para Moisés, outra para Elias. Falava ele ainda, quando uma nuvem luminosa os envolveu; e eis, vindo da nuvem, uma voz que dizia: Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo; a ele ouvi. Ouvindo-a os discípulos, caíram de bruços, tomados de grande medo. Aproximando-se deles, tocou-lhes Jesus, dizendo: Erguei-vos e não temais! Então, eles, levantando os olhos, a ninguém viram, senão Jesus” (Mateus 17:1-8).

O aparecimento de Elias e Moisés no evento da transfiguração foi genuíno e possível pelo fato de que:

(1) Elias foi trasladado vivo ao Céu, sem provar a morte (2 Reis 2:9-12).

(2) Moisés haver sido previamente ressuscitado dos mortos e levado para o Céu, como sugere a declaração bíblica no livro de Judas (Judas 9).

Textos Bíblicos:

(1) Trasladação de Elias:

“Havendo eles passado, Elias disse a Eliseu: Pede-me o que queres que eu te faça, antes que seja tomado de ti. Disse Eliseu: Peço-te que me toque por herança porção dobrada do teu espírito. Tornou-lhe Elias: Dura coisa pediste. Todavia, se me vires quando for tomado de ti, assim se te fará; porém, se não me vires, não se fará. Indo eles andando e falando, eis que um carro de fogo, com cavalos de fogo, os separou um do outro; e Elias subiu ao céu num redemoinho. O que vendo Eliseu, clamou: Meu pai, meu pai, carros de Israel e seus cavaleiros! E nunca mais o viu; e, tomando as suas vestes, rasgou-as em duas partes” (2 Reis 2:9-12).

(2) Ressurreição de Moisés:

“Contudo, o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo e disputava a respeito do corpo de Moisés, não se atreveu a proferir juízo infamatório contra ele; pelo contrário, disse: O Senhor te repreenda!” (Judas 9).

Transfiguração:

Moisés e Elias vieram ter com Jesus a fim de fortalecê-lo para enfrentar os dias difíceis que teria pela frente. Dias de prisão, julgamento e morte.

Moisés e Elias vieram ter com Jesus representando o futuro reino de Deus a ser implantado pela morte de Cristo. Elias, representando os que serão transladados sem ver a morte. E Moisés representando os que após a morte, forem ressuscitados por Deus para vida eterna.

Qualquer tentativa de justificar a teoria espírita da reencarnação, com base no relato da transfiguração, está em direta oposição ao claro ensinamento bíblico de que “aos homens está ordenado morrerem uma só vez vindo depois disso o juízo” (Hebreus 9:27). As Escrituras não reconhecem como autênticas quaisquer comunicações com mortos que não foram previamente ressuscitados de forma corpórea e literal. Manifestações espirituais de mortos não-ressuscitados são identificadas como enganosas contrafações satânicas (ver 1 Samuel 28:1-25; Isaías 8:19 e 20; Apocalipse 21:8).

Biblia.com.br

Anterior Os eclipses são sinais do fim do mundo?
Próximo Qual é o melhor regime alimentar?

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 485 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Sem categoria 37 Comentários

O “oitavo rei”: a interpretação de Apocalipse 17 que não acerta uma

Por Nelson Wasiuk, apresentador do programa “En La Mira da La Verdad”. Tradução: Filipe Reis   Desde que João Paulo II morreu em 2005, uma interpretação diferente de Apocalipse 17: 9-11

Apologética Cristã 2 Comentários

Expiação de Jesus e juízo investigativo

“Como se poderia conciliar a passagem de Hebreus 9, que afirma que Jesus ofereceu um sacrifício para sempre, com a doutrina do juízo investigativo iniciado em 1844?” Vejamos o que

Apologética Cristã 1Comentários

Estudo Teológico sobre o Arrebatamento

Esta esperança é escurecida, no entanto, por uma sombra. Segundo a Bíblia, um momento terrível de angústia, muitas vezes chamado de “tribulação” – terá lugar na Terra pouco antes da

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comente este artigo!