Não perca tempo com os brigões

Não perca tempo com os brigões

É curioso como as pessoas perdem tempo em assistir aquilo que é lixo e que nada contribui para o crescimento pessoal e desenvolvimento das nobres qualidades de caráter de Gálatas 5:22, 23. Não precisava ser assim porque a Bíblia nos diz no que devemos deter nossas atenções e pensamentos:

“Por último, meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios, isto é, tudo o que é verdadeiro, digno, correto, puro, agradável e decente.” (Fp 4:8 – Nova Tradução Na Linguagem de Hoje).

 

 

Infelizmente, muitos preferem continuar brigando com a vida, ao invés de fazer as pazes com ela. Buscam “apoio” para aquilo que as frustra nas palavras de brigões (como elas) que, além da péssima educação, querem aparecer a todo custo, fugindo assim de seus problemas internos. Tais pessoas nunca terão plena saúde emocional porque só haverá saúde a partir do momento que encararmos nossos problemas, olharmos para o próprio “eu” e reconhecemos que necessitamos de ajuda e mudanças.

Quanto mais mascararmos aquilo que nos incomoda “lá dentro”, mais postergamos a cura. Além disso, nos tornamos pessoas amargas e falsas, que usam a máscara do fanatismo para esconder os próprios defeitos. Consequentemente, passamos a ver mais os erros dos outros para desviar a atenção dos nossos! Nunca haverá cura para quem insistir nesse padrão de comportamento.

Ao ser desafiado a responder ao que um crítico desrespeitoso tem dito sobre o programa “Na Mira da Verdade”, respondi a esse internauta que não perderei meu tempo com esse tipo de coisa por causa de um mandamento bíblico. Aconselhei-o a obedecer ao mesmo preceito, porém, é improvável que no momento queria fazê-lo. Diz Provérbios 14:7, na Nova Tradução Na Linguagem de Hoje:

“Afaste-se das pessoas sem juízo porque gente assim não tem nada para ensinar”.

Se a Bíblia diz para nos afastarmos daqueles que não têm juízo, porque permaneceremos alimentando os sentimentos ruins deles, dando-lhes atenção? Sendo que a pessoa é desajuizada, como podemos aprende algo com alguém assim? Só perderemos nosso tempo!

Por isso, aconselho a todo internauta a ser bastante seletivo quanto ao que assiste. Afinal, há uma lei espiritual que não pode ser revogada: tornamo-nos semelhantes àquilo que contemplamos (Sl 115:8). Assim, se você contempla os vídeos e comentários dos brigões, que nada sabem de Bíblia, se tornará um brigão tão ignorante quanto essa pessoa.

Contemple ao manso e humilde Jesus, “autor e consumador” de nossa fé (Hb 12:2), e encontrará descanso para sua alma (Mt 11:28-30). Estude a Bíblia por si mesmo e adquirirá qualidade de vida, além de preparo para a vida eterna (Rm 15:4; 2Tm 3:16, 17). Assista palestrantes que têm o fruto do Espírito (mansidão – veja Gl 5:22, 23) para transmitir conteúdo de qualidade. Em consequência disso, se tornará um melhor cidadão e percorrerá com alegria a jornada cristã.

E, ao invés de olharmos para os erros dos outros, olhemos para os nossos, para que sejamos curados e transformados pelo poder regenerador do Divino Espírito Santo.

Essas são algumas dicas que lhe dou nesse dia, seja você cristão ou não. Caso tenha achado esse texto útil, não deixe de compartilhá-lo com sua rede de amigos no facebook e twitter.

Ótima semana,
Leandro

Anterior Por que os críticos se desesperam quando afirmamos que Moisés ressuscitou
Próximo Identificando Miguel na Bíblia

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 520 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Apologética Cristã 1Comentários

Pop cada vez mais pop

A cultura Pop é o espelho da nova geração e precisamos aprender com ela

Apologética Cristã 3 Comentários

O espiritismo e os médiuns

Introdução 1) O que a Bíblia diz sobre a mediunidade? 2) Deus se comunica por meios dos médiuns? 3) Os mortos podem conversar com os vivos? Até o momento percebemos

Apologética Cristã 0 Comentários

Escravos serão salvos?

A sua lógica e a minha são limitadas e corrompidas pelo pecado. Portanto, não podemos entender a lógica divina e nem devíamos ter essa pretensão (cf. Is 55:8, 9). Muitas

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comente este artigo!