O que a Bíblia diz sobre masturbação?

O que a Bíblia diz sobre masturbação?

 

A Bíblia não fala explicitamente sobre masturbação, mas apresenta vários princípios que nos ajudam na compreensão do assunto. Somos ensinados pela Palavra de Deus que o sexo, em vez de ser usufruído egoisticamente, deve ser compartilhado exclusivamente dentro do relacionamento matrimonial. O plano divino não é “que o homem esteja só” (Gn 2:18), mas que se realize sexualmente no casamento (ver Gn 2:24; Êx 20:14; Pv 5:18; 6:20-35; 7:1-27).

A despeito de ser encarada positivamente por muitos médicos e sexólogos contemporâneos, a masturbação é uma negação direta do princípio bíblico de que “a mulher não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim o marido; e também, semelhantemente, o marido não tem poder sobre o seu próprio corpo, e sim a mulher” (I Co 7:4). Além disso, ao se masturbar, a pessoa geralmente contempla fotos pornográficas ou imagina cenas eróticas, não condizentes com os elevados princípios de pureza moral e espiritual do cristianismo (ver I Pe 2:11).

Cristo foi claro em afirmar que o adultério condenado pelas Escrituras (Êx 20:14) não se restringe meramente às relações sexuais fora do casamento, mas envolve também os próprios pensamentos imorais, “que contaminam o homem” (Mt 15:19 e 20). Ele asseverou no Sermão do Monte: “Ouvistes que foi dito: Não adulterarás. Eu, porém, vos digo: qualquer que olhar para uma mulher com intenção impura, no coração, já adulterou com ela” (Mt 5:27 e 28). E no Salmo 24:3 e 4 lemos: “Quem subirá ao monte do Senhor? Quem há de permanecer no Seu santo lugar? O que é limpo de mãos e puro de coração…”

Apesar de não ser fácil romper com o vício da masturbação, a graça de Cristo é poderosa para nos dar a vitória sobre todo e qualquer hábito pecaminoso (ver I Co 15:57; Fp 2:13; 4:7; I Jo 1:7-9) e para desenvolver em nossa vida o ideal divino enunciado nas seguintes palavras: “Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento” (Fp 4:8).

 

 

Alberto R. Timm

Fonte: Sinais dos Tempos, setembro de 1998, p. 29 (usado com permissão)

Anterior O que a Bíblia diz sobre o julgamento?
Próximo Conversa franca sobre pureza sexual

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 664 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Aconselhamento Espiritual 1Comentários

Os reis magos

Não há nada no registro bíblico que confirme os nomes dados pela tradição aos sábios do oriente que vieram visitar Jesus em Belém. Como se chamavam os magos que visitaram

Aconselhamento Espiritual 0 Comentários

O impossível e a oração de Jesus

“E, despedidas as multidões, subiu ao monte, a fim de orar sozinho. Em caindo a tarde, lá estava ele, só” (Mt 14:23) Ele “subiu ao monte para orar sozinho”. Jesus

Aconselhamento Espiritual 0 Comentários

A rejeição do amor

Ditas estas coisas, angustiou-Se Jesus em espírito e afirmou: Em verdade, em verdade vos digo que um dentre vós me trairá” (João 13:21). Quais teriam sido os motivos que impeliram

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comente este artigo!