Bons Debates

O que a Bíblia diz sobre o regime alimentar?

Assista aqui a série especial sobre a alimentação na Bíblia:

Qual era o regime alimentar original recomendado por Deus para o homem e a mulher? Frutas, cereais, nozes e legumes. No primeiro capítulo da Bíblia, no contexto da criação, Deus diz ao ser humano: “Eis que vos tenho dado todas as ervas que produzem semente, as quais se acham sobre a face de toda a terra, bem como todas as árvores em que há fruto que dá semente; ser-vos-ão para mantimento” (Gênesis 1:29).

Após o Dilúvio, quando havia pouca vegetação, que instruções deu Deus sobre o regime alimentar? A Bíblia diz em Gênesis 9:2-4: “Terão medo e pavor de vós todo animal da terra, toda ave do céu, tudo o que se move sobre a terra e todos os peixes do mar; nas vossas mãos são entregues. Tudo quanto se move e vive vos servirá de mantimento, bem como a erva verde; tudo vos tenho dado. A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis.”

O povo tinha que ter cuidado com a sua alimentação e deveriam fazer a distinção entre o que era limpo e o que era imundo para o seu regime alimentar.

A Bíblia diz em Levítico 11:47: “Para fazer separação entre o imundo e o limpo, e entre os animais que se podem comer e os animais que não se podem comer” (ver Levítico 11 para informação adicional).

A distinção entre o que era limpo e imundo para a alimentação não era somente uma regra judaica. Era uma lei que existia antes de Abraão, o primeiro judeu.

A Bíblia diz em Gênesis 7:1-2: “Depois disse o Senhor a Noé: Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque tenho visto que és justo diante de mim nesta geração. De todos os animais limpos levarás contigo sete e sete, o macho e sua fêmea; mas dos animais que não são limpos, dois, o macho e sua fêmea.”

Esta distinção entre os animais limpos e imundos continuará até ao final dos tempos. A Bíblia diz em Isaías 66:15, 17: “Pois, eis que o Senhor virá com fogo, e os seus carros serão como o torvelinho, para retribuir a sua ira com furor, e a sua repreensão com chamas de fogo. Os que se santificam, e se purificam para entrar nos jardins após uma deusa que está no meio, os que comem da carne de porco, e da abominação, e do rato, esses todos serão consumidos, diz o Senhor.”

Que exemplo deu Daniel sobre a importância do regime alimentar? A Bíblia diz em Daniel 1:8: “Daniel, porém, propôs no seu coração não se contaminar com a porção das iguarias do rei, nem com o vinho que ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe concedesse não se contaminar.” Que comeu ele como alternativa? A Bíblia diz em Daniel 1:12: “Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias; e que se nos dêem legumes a comer e água a beber.”

A Bíblia considera a carne de pato imunda?

Por que devemos exercer domínio próprio sobre os nossos hábitos alimentares? A Bíblia diz em 1 Coríntios 10:31: “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais, qualquer outra coisa, fazei tudo para glória de Deus.”

Biblia.com.br

Tags:

One comment

  1. Se a carne não serve como alimento por que Deus permitiu que ela fosse usada para esse fim após o dilúvio? E por que Deus mandou carne para o povo de Israel no deserto? A carne é prejudicial? Deve ser substituída?

    Entendendo que você é um adventista (ou amigo da igreja) e crê que o Espírito de Profecia é inspirado, normativo e autoritativo, vou usá-lo de forma direta para essas respostas.
    Fique tranqüilo! Não vou afirmar que quem come carne não vai para o Céu ou se perder! Também não quero ser mais um feroz vegetariano que “devora” o próximo. Mas por favor, saiba os porquês e as conseqüências deste hábito, para poder tomar decisões sábias.

    Por que Deus permitiu que após o dilúvio o homem comesse carne se esse não é um bom alimento?

    Muitos de nós pensamos que Deus permitiu a carne como alimento por causa da destruição dos vegetais pelas águas do dilúvio. Mas pasmem, não foi esse o motivo, muito pelo contrário, assim como os vegetais foram destruídos, os animais também foram, e a recuperação da vida vegetal é muito mais rápida do que a animal. Note também que os animais limpos que entraram em 7 pares, foram usados nos sacrifícios após o dilúvio (Gn. 8:20). Leia com atenção o motivo nas palavras inspiradas:

    “E permitiu Ele que aquela raça de gente longeva comesse alimento animal, a fim de abreviar sua vida pecaminosa. Logo após o dilúvio o gênero humano começou a decrescer rapidamente em tamanho, e na extensão dos anos”. Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 373

    Abreviar a vida do ser humano! Esse foi o motivo.

    O ser humano vivia muitos anos, quase um milênio, e a maldade estava se acumulando. Imagine homens maldosos vivendo quase mil anos? Imagine com essa longevidade Nero, Herodes, Hitler, etc.

    Para reduzir a vida do ser humano para 120 anos, segundo Gênesis 6:3, Deus alterou as condições de vida na Terra após o dilúvio, e a alimentação cárnea foi uma das mudanças para abreviar a vida do homem.

    Por que Deus mandou carne para o povo de Israel no deserto se esse alimento não é bom?

    “Escolhendo a comida do homem, no Éden, mostrou o Senhor qual era o melhor regime; na escolha feita para Israel, ensinou Ele a mesma lição. Tirou os israelitas do Egito, e empreendeu educá-los, a fim de serem um povo para Sua possessão própria. Desejava, por intermédio deles, abençoar e ensinar o mundo inteiro.

    Proveu-lhes o alimento mais adaptado ao Seu desígnio; não carne, mas o maná, “o pão do Céu”. João 6:31. Foi unicamente devido a seu descontentamento e murmuração em torno das panelas de carne do Egito, que lhes foi concedido alimento cárneo, e isto apenas por pouco tempo. Seu uso trouxe doença e morte a milhares. Todavia a restrição a um regime sem carne não foi nunca aceita de coração. Continuou a ser causa de descontentamento e murmuração, franca ou secreta, e não ficou permanente”. Conselhos Sobre o Regime Alimentar, 374

    A Carne e a Moral

    “Os males morais do regime cárneo não são menos assinalados do que os físicos. A comida de carne é prejudicial à saúde, e seja o que for que afete ao corpo, tem seu efeito correspondente na mente e na alma. Pensai na crueldade que o regime cárneo envolve para com os animais, e seus efeitos sobre os que a infligem e nos que a observam. Como isso destrói a ternura com que devemos considerar as criaturas de Deus!” A Ciência do Bom Viver, pág. 315.

    A Carne e as Doenças

    Segundo os textos inspirados, a alimentação cárnea é causa de doenças e debilidades:

    “O uso comum de carne de animais mortos tem tido influência deteriorante sobre a moral, bem como na constituição física. A má saúde, em uma variedade de formas, caso fosse rastreada até à causa, mostraria o seguro resultado da alimentação cárnea”. Conselhos Sobre saúde

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *