O que é Liberdade Religiosa?

O que é Liberdade Religiosa?

Liberdade religiosa deriva da liberdade de pensamento, uma vez que quando é mantida exteriorizada torna-se uma forma de manifestação do pensamento. Ela compreende outras liberdades: liberdade de crença, liberdade de culto, liberdade de organização religiosa e liberdade de expressão. Ela abrange a liberdade de escolha da religião, liberdade de mudar de religião, liberdade de não aderir a religião alguma e liberdade de ser ateu. A liberdade de culto, abrange a liberdade de orar e a de praticar atos próprios das manifestações exteriores em casa ou em público.

Veja essa cartilha da OAB/SP sobre o assunto

Declaração Universal dos Direitos Humanos adotada pelos 58 estados membros conjunto das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948, no Palais de Chaillot em Paris, (França), definia a liberdade de religião e de opinião no seu artigo 18, citando que “Todo o homem tem direito à liberdade de pensamentoconsciência e religião”. Os artigos 19 e 20 estão associados à liberdade religiosa conhecida internacionalmente pela sigla (FoRB – Freedom of Religion or Belief).

Situação Atual

A questão da liberdade religiosa é extremamente complexa e delicada. É complexa porque a compreensão desse tema depende de uma abordagem interdisciplinar e, por conseguinte, de incursões que vão além da ciência jurídica (direito), envolvendo, também, a história, a teologia, a antropologia, a ciência da religião e a filosofia. O tema é delicado porque revela o desafio de se conviver num mundo plural, em que a intolerância religiosa ainda está presente em vários países do mundo como na China, no Paquistão, no Irão e na Arábia Saudita.

Também é preocupante a situação do Iraque, imerso nos atentados terroristas sunitas tendo por alvo os xiitas e nas ameaças contra a comunidade cristã, que são por vezes levadas às suas últimas consequências. As minorias cristãs estão também na mira dos extremistas budistas no Sri Lanka e dos hinduístas na Índia, que utilizam as leis anticonversão para impedir qualquer actividade missionária, recorrendo frequentemente a violência.

O último bastião dos campos de concentração ao estilo social comunista, a Coreia do Norte, viu desaparecer no vazio, durante nos últimos 50 anos, cerca de 300 mil cristãos. Uma prática repressiva análoga é seguida pelo regime de Pequim contra os cristãos, os budistas e os membros do Falun Gong, presos e torturados em campos de detenção sem acusação e, frequentemente, liberados apenas após a sua morte.

Dos 25 países mais populosos do mundo, IrãEgitoIndonésia e Paquistão são consideradas as que têm maiores restrições, enquanto BrasilJapãoSuéciaCanadá, e Espanhasão alguns dos países com níveis mais baixos.

Clique nesta imagem para ir ao site e conhecer o conteúdo do áudio livro

Anterior A certeza da segunda vinda
Próximo Respondendo às suas dúvidas: maquiagem e roupas

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 575 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Bons Debates 15 Comentários

A Igreja Católica e a Formação da Bíblia

Descubra a real história a respeito da formação da Bíblia e saiba como responder algumas alegações contra o protestantismo.

Bons Debates 0 Comentários

Debate sobre a imortalidade da alma (Parte 2)

Continuação A compreensão de que a morte é um sono; de que a natureza humana é holística; e que todo o ser do ímpio será destruído no lago de fogo

Bons Debates 0 Comentários

O que o Apostolo Paulo quis dizer em I Coríntios 5:5?

Além de estudá-lo juntamente com outros textos de Paulo acerca do estado do homem na morte (I Coríntios 15:23; I Tessalonicenses 4:13-16, etc), temos de analisar I Coríntios 5:5 em

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comente este artigo!