O que é o “ESPÍRITO”?

O que é o “ESPÍRITO”?

O corpo é formado de matéria, de pó. O espírito [ruach] é o que dá animação ao corpo, e assim tornamo-nos almas viventes (Gn.2:7). Sem o espírito em nós, o nosso corpo morto não passa de matéria (pó) inanimada, sem vida (Tg.2:26). O que é o “espírito”, então? É exatamente aquilo que dá animação ao corpo, é a “vida” por assim dizer.

Obviamente não tem parte nenhuma com algum outro “você” que volta para Deus, mas representa tão somente a vida deixada nas mãos do Criador; é por isso que a Bíblia apresenta os animais com o mesmo espírito-ruach possuído pelos humanos (Gn.6:17; Gn.7:21,22; Ec.3:19,20; Gn.7:15; Sl.104:29).

Gênesis 6:17 – “Porque eis que eu trago um dilúvio de águas sobre a terra, para desfazer toda a carne em que há espírito [ruach] de vida debaixo dos céus; tudo o que há na terra expirará”

Gênesis 7:21,22 – “E expirou toda a carne que se movia sobre a terra, tanto de ave como de gado e de fera, e de todo réptil que se roja sobre a terra, e todo homem, tudo o que tinha fôlego de espírito [ruach] de vida em seus narizes, tudo o que havia na terra seca, morreu”

Eclesiastes 3:19,20 – “Porque o que sucede aos filhos dos homens, isso mesmo também sucede aos animais, e lhes sucede a mesma coisa; como morre um, assim morre o outro; e todos têm o mesmo fôlego [ruach], e a vantagem dos homens sobre os animais não é nenhuma, porque todos são vaidade. Todos vão para o mesmo lugar; todos foram feitos do pó, e todos voltarão ao pó”

Gênesis 7:15 – “E entraram na arca de dois a dois de toda carne em que há um espírito vivo” (Young’s Literal Translation)

Fica claro que espírito significa “VIDA” e não um ser inteligente que sai do corpo na hora da morte.

No livro de Apocalipse é lido que até uma imagem de escultura é dotada de espírito [pneuma, no grego] para tornar-se um ser animado: “E foi-lhe concedido que desse espírito [pneuma] à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta” (Ap.13:15).

Aqui vemos que a imagem de escultura (um ser inanimado) foi dotada de espírito [pneuma] e assim foi dada animação [vida] à imagem. É mais do que óbvio que Deus não colocou uma “alma imortal” dentro da imagem e muito menos alguma entidade consciente que volta com personalidade e inteligência para Deus, mas simplesmente concedeu-lhe o fôlego da vida para dar animação à imagem de pedra. É exatamente a mesma coisa que sucedeu aos seres humanos.

A mesma coisa sucedeu a nós: Fomos formados do pó da terra, de matéria animada; até que Deus soprou em nós o espírito [vida] dando animação à matéria formada do pó – e assim o homem tornou-se uma alma [ser] vivente. O espírito é o que vem da parte de Deus e que dá animação a um elemento inanimado, tornando tal elemento em animado, concedendo-lhe vida. Quando as pessoas morrem, elas perdem a vida [espírito], tornam-se novamente em matéria inanimada (pó), é por isso que a Bíblia afirma que o espírito de todos retorna para Deus (Ec.12:7), pois as pessoas perdem a vida, voltam a ser pó.

É claramente nos referido que o motivo dos ídolos mudos não serem vivos é decorrente do fato de não possuírem “espírito-ruach”: “Eis que está coberto de ouro e de prata, mas no seu interior não há fôlego [ruach] nenhum” (Hc.2:9). E também em Jeremias: “Todo ourives é envergonhado pela imagem que ele esculpiu; pois as suas imagens são mentira, e nelas não há fôlego [ruach]” (Jr.10:4).

Aqui vemos que os que não têm vida são descritos como sem “espírito-ruach”. Os ídolos são considerados como “sem vida” pelo fato de serem destituídos de espírito-ruach, que é o princípio animador de toda a vida. Quando um ídolo ganha animação, é descrito como constituído de “espírito-pneuma” (Ap.13:15), porque passou a ter vida. Em outras palavras, o espírito é nada a mais do que o poder capacitador de vida a qualquer ser vivente, mesmo quando trata-se de ídolos ou de animais.

Ele não é uma alma imortal, e nem algo que traz consigo imortalidade, consciência e personalidade após a morte, mas apenas a vida que possuímos em nossa jornada em nossa terrestre. Quando o espírito é retirado do ser humano, este volta para o pó da terra (Sl.104:29; Sl.146:4; Gn.3:19); quando o espírito concedido temporariamente àquela imagem lhe é retirado, volta a ser uma pedra inanimada.

Os escritores bíblicos correspondiam bem ao fato de que a saída do espírito-ruach por ocasião da morte não significa a continuação da vida, mas sim a cessação dela:

Jó 14:10-12 – “Porém, morto o homem, é consumido; sim, rendendo o homem o espírito, então onde está ele? Como as águas se retiram do mar, e o rio se esgota, e fica seco, assim o homem se deita, e não se levanta; até que não haja mais céus, não acordará nem despertará de seu sono”

Salmos 146:4 – “Quando o espírito deles se vai, eles voltam ao pó, e naquele dia perecem os seus pensamentos”

Lucas Banzoli – Heresias católicas

Anterior O advogado da fé
Próximo Princípios bíblicos para o casamento

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 600 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Sem categoria 0 Comentários

STF aprova ensino confessional em escolas públicas

Por 6 votos a 5, a corte decidiu que instituições públicas podem professar crenças religiosas.

Sem categoria 0 Comentários

Lições de Daniel 7

Autor: Ekkehardt Mueller As nações usam imagens de animais como seus representantes, comunicando uma mensagem sobre como eles vêm a si mesmas. Algumas escolheram uma águia, outras um leão e ainda

Sem categoria 4 Comentários

Por que Paulo foi tão rigoroso com os Gálatas?

Há um irmão que constantemente posta no blog comentários extensos, com capítulos bíblicos INTEIROS dirigidos aos adventistas. Um dos livros que ele mais cita é o de Gálatas para tentar

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comente este artigo!