O que é o “ESPÍRITO”?

O que é o “ESPÍRITO”?

O corpo é formado de matéria, de pó. O espírito [ruach] é o que dá animação ao corpo, e assim tornamo-nos almas viventes (Gn.2:7). Sem o espírito em nós, o nosso corpo morto não passa de matéria (pó) inanimada, sem vida (Tg.2:26). O que é o “espírito”, então? É exatamente aquilo que dá animação ao corpo, é a “vida” por assim dizer.

Obviamente não tem parte nenhuma com algum outro “você” que volta para Deus, mas representa tão somente a vida deixada nas mãos do Criador; é por isso que a Bíblia apresenta os animais com o mesmo espírito-ruach possuído pelos humanos (Gn.6:17; Gn.7:21,22; Ec.3:19,20; Gn.7:15; Sl.104:29).

Gênesis 6:17 – “Porque eis que eu trago um dilúvio de águas sobre a terra, para desfazer toda a carne em que há espírito [ruach] de vida debaixo dos céus; tudo o que há na terra expirará”

Gênesis 7:21,22 – “E expirou toda a carne que se movia sobre a terra, tanto de ave como de gado e de fera, e de todo réptil que se roja sobre a terra, e todo homem, tudo o que tinha fôlego de espírito [ruach] de vida em seus narizes, tudo o que havia na terra seca, morreu”

Eclesiastes 3:19,20 – “Porque o que sucede aos filhos dos homens, isso mesmo também sucede aos animais, e lhes sucede a mesma coisa; como morre um, assim morre o outro; e todos têm o mesmo fôlego [ruach], e a vantagem dos homens sobre os animais não é nenhuma, porque todos são vaidade. Todos vão para o mesmo lugar; todos foram feitos do pó, e todos voltarão ao pó”

Gênesis 7:15 – “E entraram na arca de dois a dois de toda carne em que há um espírito vivo” (Young’s Literal Translation)

Fica claro que espírito significa “VIDA” e não um ser inteligente que sai do corpo na hora da morte.

No livro de Apocalipse é lido que até uma imagem de escultura é dotada de espírito [pneuma, no grego] para tornar-se um ser animado: “E foi-lhe concedido que desse espírito [pneuma] à imagem da besta, para que também a imagem da besta falasse, e fizesse que fossem mortos todos os que não adorassem a imagem da besta” (Ap.13:15).

Aqui vemos que a imagem de escultura (um ser inanimado) foi dotada de espírito [pneuma] e assim foi dada animação [vida] à imagem. É mais do que óbvio que Deus não colocou uma “alma imortal” dentro da imagem e muito menos alguma entidade consciente que volta com personalidade e inteligência para Deus, mas simplesmente concedeu-lhe o fôlego da vida para dar animação à imagem de pedra. É exatamente a mesma coisa que sucedeu aos seres humanos.

A mesma coisa sucedeu a nós: Fomos formados do pó da terra, de matéria animada; até que Deus soprou em nós o espírito [vida] dando animação à matéria formada do pó – e assim o homem tornou-se uma alma [ser] vivente. O espírito é o que vem da parte de Deus e que dá animação a um elemento inanimado, tornando tal elemento em animado, concedendo-lhe vida. Quando as pessoas morrem, elas perdem a vida [espírito], tornam-se novamente em matéria inanimada (pó), é por isso que a Bíblia afirma que o espírito de todos retorna para Deus (Ec.12:7), pois as pessoas perdem a vida, voltam a ser pó.

É claramente nos referido que o motivo dos ídolos mudos não serem vivos é decorrente do fato de não possuírem “espírito-ruach”: “Eis que está coberto de ouro e de prata, mas no seu interior não há fôlego [ruach] nenhum” (Hc.2:9). E também em Jeremias: “Todo ourives é envergonhado pela imagem que ele esculpiu; pois as suas imagens são mentira, e nelas não há fôlego [ruach]” (Jr.10:4).

Aqui vemos que os que não têm vida são descritos como sem “espírito-ruach”. Os ídolos são considerados como “sem vida” pelo fato de serem destituídos de espírito-ruach, que é o princípio animador de toda a vida. Quando um ídolo ganha animação, é descrito como constituído de “espírito-pneuma” (Ap.13:15), porque passou a ter vida. Em outras palavras, o espírito é nada a mais do que o poder capacitador de vida a qualquer ser vivente, mesmo quando trata-se de ídolos ou de animais.

Ele não é uma alma imortal, e nem algo que traz consigo imortalidade, consciência e personalidade após a morte, mas apenas a vida que possuímos em nossa jornada em nossa terrestre. Quando o espírito é retirado do ser humano, este volta para o pó da terra (Sl.104:29; Sl.146:4; Gn.3:19); quando o espírito concedido temporariamente àquela imagem lhe é retirado, volta a ser uma pedra inanimada.

Os escritores bíblicos correspondiam bem ao fato de que a saída do espírito-ruach por ocasião da morte não significa a continuação da vida, mas sim a cessação dela:

Jó 14:10-12 – “Porém, morto o homem, é consumido; sim, rendendo o homem o espírito, então onde está ele? Como as águas se retiram do mar, e o rio se esgota, e fica seco, assim o homem se deita, e não se levanta; até que não haja mais céus, não acordará nem despertará de seu sono”

Salmos 146:4 – “Quando o espírito deles se vai, eles voltam ao pó, e naquele dia perecem os seus pensamentos”

Lucas Banzoli – Heresias católicas

Anterior O advogado da fé
Próximo Princípios bíblicos para o casamento

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 485 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Sem categoria 1Comentários

A Teologia da Última Geração

Autor: Angel Manuel Rodríguez (aposentado, foi diretor do Biblical Research Institute) Tradução: Maurício Mancuzo A teologia da última geração foi desenvolvida e popularizada na Igreja Adventista por ML Andreasen (The

Sem categoria 0 Comentários

“Não matarás [o feto]” (Êx 20:13)

Antes de qualquer coisa, quero deixar bem claro que se você um dia optou pelo aborto, porém, arrependeu-se e pediu perdão a Deus pelo seu pecado, Ele já lhe perdoou

Sem categoria 0 Comentários

Doutrina da “dupla predestinação” prejudica a mente

O psiquiatra cristão Timothy R. Jennings, em seu livro Simples Demais: Um modelo bíblico para a cura da mente[i], afirmou que a doutrina da dupla predestinação não faz bem à saúde

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comente este artigo!