O que fazer se a vida espiritual vai mal por causa de problemas financeiros?

O que fazer se a vida espiritual vai mal por causa de problemas financeiros?

Muitas famílias estão em dívida porque não tem um plano para emergências. A família inteligente separa uma parte do salário para a poupança. Salomão aprendeu com a formiga a importância de poupar.

A primeira coisa que precisamos entender é que Deus deseja ser o nosso Salvador e Senhor, independentemente da situação que estejamos enfrentando. Ele quer nos ver felizes, pois somos Seus filhos e Ele nos ama muito. Quando choramos e passamos por problemas, Deus está disposto a nos ajudar e se interessa pela solução dos nossos problemas. Olha o recado de Deus: “Sê forte e corajoso; não temas nem te espantes; porque o Senhor teu Deus é contigo por onde quer que andares” (Josué 1:9).

Que maravilha sabermos que Deus está sempre conosco, não é mesmo? Quando a tristeza e a vontade de abandonar tudo baterem na porta do seu coração, lembre-se que Deus está disposto a lhe ajudar. Ele diz: “Vinde a Mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei” (Mateus 11:28).

Inúmeras coisas acontecem em nossa vida para que nos afastemos de Deus e o problema financeiro é um grande exemplo disso. Mas sabe, a nossa luta maior é estar com Deus, não é pagar a dívida! A Bíblia diz: “Buscai em primeiro lugar o reino de Deus e a Sua justiça, e todas as outras coisas vos serão acrescentadas” (Mateus 6:33). O primeiro passo para uma vida feliz é estarmos com Jesus! Com relação a situação financeira, é quase impossível mesmo viver uma vida positiva estando numa situação assim, mas saiba que você não está sozinho e que existe solução para esse problema.

Vou lhe dar algumas sugestões para superar a crise financeira:

Passo 1. Reconheça que você é o responsável por seu problema financeiro.

Se houve descontrole financeiro, gastou mais do que recebeu, fez empréstimos e está com dificuldade de pagar as dívidas, assuma a responsabilidade por seu problema financeiro. A maioria das pessoas faz o jogo do “quem é o culpado”. Culpam as pessoas por seu dilema financeiro. Mas o fato é que nós escolhemos entrar na dívida. Portanto, precisamos tomar conta de nosso dinheiro. Somos os únicos que podemos dirigir nosso navio para a independência econômica.

Passo 2. Reconheça que a dívida é prejudicial.

Somente depois que uma criança se queima é que deixa de pôr a mão no fogão. O processo para se sair da dívida é o mesmo. Quando vemos os efeitos da dívida, entramos em ação para sair dela. A dívida nos afeta em pelo menos três formas. Em primeiro lugar: destrói a saúde. A escravidão financeira traz consigo a tensão mental. Os médicos descobriram que muitas enfermidades físicas, como fadiga, dor de cabeça, insônia e nervosismo, estão relacionadas com a tensão. Muitas pessoas hoje em dia vivem sob forte tensão. Estão preocupadas sobre como pagarão as coisas que compraram com o dinheiro que não tinham.

Em segundo lugar: a dívida provoca a desintegração do relacionamento familiar. À medida que cresce a dívida em casa, também aumenta a revolta e o ressentimento. Muitas vezes há discussões intermináveis, que geralmente terminam em comunicação rompida tanto verbal quanto sexualmente. As estatísticas indicam que uma grande porcentagem de divórcios ocorre devido a dificuldades financeiras. Não são muitos casamentos que podem sobreviver a uma luta prolongada com a escravidão financeira.

E, por último: a dívida leva à morte espiritual. É difícil meditar em coisas de ordem espiritual quando as dívidas estão vencidas. A dívida atrapalha nossa comunicação com Deus, frequência à igreja e outros deveres religiosos. Isso ocorre devido ao sentimento de culpa, embaraço e um senso prejudicado de valor próprio.

 Passo 3. Compreenda como você entrou na dívida.

Surpreendentemente, muitas pessoas não desejam encarar o modo como entraram em dívida. Muitos simplesmente creem que foi um acidente. Mas, na realidade, as pessoas entram em dívida por quatro razões básicas. A primeira é a falta de objetivos financeiros. As famílias que não têm objetivos financeiros são as primeiras candidatas a gastar descontroladamente. Tendem a viver para o dia de hoje, cuidando apenas das necessidades do presente.

Tentar se igualar aos outros é outra razão pela qual as pessoas se endividam. As pessoas que agem assim determinam suas necessidades observando o que os outros têm. Lembre-se: nem tudo o que reluz é ouro. Outra causa da dependência financeira é o abuso do crédito. O crédito é como o fogo. O fogo pode fazer muitas coisas boas quando está sob controle. Mas quando está fora do controle, o fogo destrói. Poucas pessoas se contentam em esperar e poupar para fazer compras. Vivemos numa sociedade de “compre agora, pague depois”.

Finalmente, muitas famílias estão em dívida porque não tem um plano para emergências. A família inteligente separa uma parte do salário para a poupança. Salomão aprendeu com a formiga a importância de poupar. A formiga estoca suprimentos durante o verão para que possa ter o que comer no inverno (ver Provérbios 6:6-8).

Antes de discutirmos como sair da dívida, é preciso compreender que sair da dívida não é fácil. Num mundo de mentalidade consumista, sair da dívida é uma estrada solitária a ser percorrida, e não acontece da noite para o dia. É mais ou menos como perder peso: se você emagrecer rápido demais, é possível que volte a ganhar todos os quilos outra vez; mas se emagrecer num prazo razoável de tempo, geralmente vai manter a forma. A coisa mais importante a ser lembrada sobre manter o peso ou manter-se sem dívidas é que você precisa mudar seus hábitos de comer ou de gastar. Os hábitos negativos levam tempo para se estabelecerem e o mesmo acontece com os positivos.

Passo 4. Faça um levantamento de todas as suas dívidas.

Você não pode saber para onde vai se não souber onde está. Anotar a quantia que você deve em todas as suas dívidas o ajudará a determinar exatamente qual sua posição financeira.

Passo 5. Elabore um orçamento.

Um orçamento é um guia para gastos. É um método de dizer a seu dinheiro para onde ele vai em vez de perguntar a ele onde esteve. Não existe liberdade irrestrita. Fazer um orçamento é fazer a restrição que permite a liberdade financeira.

Passo 6. Estabeleça prioridades.

A fim de sair da dívida você precisa começar a experimentar algum sucesso. Isso é possível trabalhando primeiro em suas contas pequenas. Você não pode comer um sanduíche com uma mordida só, mas muitas pequenas mordidas o liquidarão aos poucos. Quando uma conta for quitada, acrescente a quantia deste pagamento às outras contas, e em um prazo mais curto do que você esperava estará livre da dívida.

Passo 7. Comunique-se com os credores.

Explique aos seus credores seu plano para sair da dívida. Na execução desse plano, pode ser que você precise baixar seus pagamentos mensais para cada credor.

Passo 8. Não olhe vitrines.

Quando você está procurando sair da dívida, o que você não precisa é de tentação. Procure outros tipos de recreação. Aquilo que você vê, você é tentado a comprar. Evite as tentações.

Passo 9. Compre à vista.

Você se surpreenderá em como você se torna consciencioso sobre gastos quando começa a comprar à vista. Diga a si mesmo: “Se não posso pagar à vista, então não posso comprar”.

Passo 10. Peça a ajuda de Deus.

O último passo, mas definidamente não o menos importante, é tomar a Deus como seu sócio para sair da dívida. Esse é, de fato, um assunto com o qual Deus está preocupado em sua vida. Apresente seu plano financeiro e suas necessidades a Deus. Creia que Ele o ajudará a sair da dívida.

Espero que essas palavras tenham ajudado você. Nunca deixe que seu problema seja maior ou mais urgente do que a sua comunhão com Deus. “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle e Ele tudo fará” (Salmos 37:5).

Biblia.com.br

Anterior 3 Razões Bíblicas Para Acolher as Pessoas, ao invés de Compactuar com a Ignorância Delas
Próximo Deus quer que você vá ao Templo

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 437 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Aconselhamento Espiritual 2 Comentários

Deus quer que você vá ao Templo

O salmista Davi escreveu: “Uma coisa pedi ao Senhor, e a buscarei: que possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida”. Frequentar a igreja é importante

Aconselhamento Espiritual 1Comentários

Como e por que fazer jejum?

Embora vivendo num mundo envolvido num grande conflito, Deus tem colocado à nossa disposição, meios poderosos com os quais podemos ser mais do que vencedores. Um destes meios é o jejum. Esta prática nos coloca em íntimo contato com o Deus onipotente, a ponto de ligar nossa mão finita à mão infinita.

Aconselhamento Espiritual 1Comentários

Princípios bíblicos para o casamento

A experiência do matrimônio deve ser gratificante para o marido e para a esposa. Os princípios divinos devem ser reconhecidos e obedecidos e então, o lar será um pedaço do

1 Comentário

  1. Daniel
    março 18, 16:44 Resposta

    PROFESSOR Leandro gostaria de te Agradecer os conselhos sobre dividas e como sair delas. Tenho a certeza que através desses conselhos irei ter outro vida Pela Graça do nosso senho Jesus

Deixe seu Comentário