Sem categoria

“Presença Espírita na Bíblia”?

Recebi de uma amiga telespectadora o link para o vídeo de um dos programas da TV Mundo Maior conhecido como “Presença Espírita na Bíblia”. No episódio que acompanhei, os apresentadores Celina Sobral e José Reis Chaves tentaram demonstrar que na Bíblia, a palavra “geração” também significa “reencarnação”, alegando com isso que a Bíblia e o espiritismo são compatíveis.
Por maior que seja meu respeito e admiração pelos irmãos espíritas e por aquilo que eles fazem em favor do próximo, devo dizer que à luz das Escrituras as explicações apresentadas no referido programa estão longe da realidade bíblica, pelas seguintes razões:
1) José Reis Chaves não pode provar linguisticamente (tendo como base o hebraico e o grego bíblico) que “geração” é sinônimo de “reencarnação”. Desconheço um Léxico (Dicionário Especializado) que traduza “geração” por “reencarnação”, o que me leva a concluir que essa afirmação de Chaves é fruto de seus pressupostos espíritas, não de uma verdade objetiva.
2) Também não é possível provar contextualmente que “geração” é o mesmo que “reencarnação”. Afinal, no contexto e na visão bíblica da natureza humana, percebemos que a filosofia dos hebreus, e posteriormente dos judeus cristãos, é holística, ou seja: a natureza humana é vista como integral, sendo, portanto, impossível separar a “alma” do corpo (cf. 1Ts 5:23, 24; 3Jo 2).
A crença de Platão (aproximadamente 428/427 a.C-348/347 a.C.), filósofo grego, de que o ser humano pode ser “dividido” em “alma e espírito” (dicotomia) é estranha para os autores bíblicos. Para eles, a morte é um estado de total inconsciência até o dia da volta de Jesus, quando ocorrerá a ressurreição corpórea dos mortos. Os textos a seguir são suficientes para provar isso: Jó 3:11-13; 14:12; Sl 13:3; 115:17; 146:4; Ec 9:5, 6 e 10; Jr 51:59; Dn 12:2; Jo 11:11-14; 1Co 15:17-23; Ts 4:13-18; etc.
No referido programa também foi dito que o texto de Lucas 12:31, 32, onde Jesus fala que a rainha de Sabá e os habitantes de Nínive “voltarão” para julgar os fariseus rebeldes, ensina que eles (rainha e ninivitas) tornarão a voltar por meio da “reencarnação”.
Porém, lemos no próprio verso que, para eles voltarem, precisam “levantar-se” – algo totalmente diferente de “reencarnar”. Veja:
“A rainha do sul se levantará no julgamento, juntamente com os homens desta geração e os condenará…” (Lc 12:31).
Levantar-se é o mesmo que reerguer-se de uma posição onde a pessoa estava, obviamente, “deitada”, ou seja: é ressuscitar da sepultura. Perceba que a simples leitura do texto é suficiente para vermos que “levantar-se” nada tem a ver com “reencarnar”.
O próprio Cristo ensina que os justos voltarão a ter vida somente “no último dia” (Jo 6:40) – ideia totalmente oposta ao ensino espírita de que logo após a morte (sem a necessidade da Volta de Jesus – 1 Ts 4:13-18) a pessoa “reencarna”. Assim, apenas “no último dia” a rainha de Sabá e os habitantes de Nínive serão ressuscitados – não “reencarnados”.
JOÃO BATISTA ERA A “REENCARNAÇÃO DE ELIAS”?
Com base em Mateus 17:12, José Reis Chaves também afirmou que “João Batista foi Elias reencarnado”. Diz o texto: “Eu, porém, vos declaro que Elias já veio, e não o reconheceram; antes, fizeram com ele tudo quanto quiseram. Assim também o Filho do Homem há de padecer nas mãos deles.”
O detalhe é que, segundo a Bíblia, Elias não morreu. Foi levado vivo para o Paraíso, de acordo com 2 Reis 2:1-18. Leia alguns versos desse capítulo:
“Chegou o tempo de o SENHOR Deus levar Elias para o céu num redemoinho. Elias saiu de Gilgal junto com Eliseu e no caminho Elias disse: —Fique aqui porque o SENHOR me mandou ir até Betel. Mas Eliseu disse: —Juro pelo SENHOR e pelo senhor que eu não o deixarei. E assim os dois foram até Betel. Um grupo de profetas que morava ali foi falar com Eliseu e lhe perguntou: —Você sabe que hoje o SENHOR vai levar o seu mestre para longe de você? —Sim, eu sei! —respondeu Eliseu. —Mas não vamos falar nisso. Então Elias disse a Eliseu: —Fique aqui porque o SENHOR me mandou ir até Jericó. Mas Eliseu disse: —Juro pelo SENHOR Deus e pelo senhor que eu não o deixarei. E assim os dois foram até Jericó. Um grupo de profetas que morava ali foi falar com Eliseu e perguntou: —Você sabe que hoje o SENHOR vai levar o seu mestre para longe de você? —Sim, eu sei! —respondeu Eliseu. —Mas não vamos falar nisso. Aí Elias disse a Eliseu: —Fique aqui porque o SENHOR me mandou ir até o rio Jordão. Mas Eliseu disse: —Juro pelo SENHOR Deus e pelo senhor que não o deixarei. Então eles saíram, e cinqüenta profetas os seguiram até o rio Jordão. Elias e Eliseu pararam perto do rio, e os profetas ficaram olhando de longe. Aí Elias tirou a sua capa, enrolou-a e bateu com ela na água. A água se abriu, e ele e Eliseu passaram para o outro lado, andando em terra seca. Ali Elias disse a Eliseu: —Diga o que você quer que eu faça por você antes que eu seja levado embora. Eliseu disse: —Quero receber como herança duas vezes mais poder do que você tem. Elias disse: —Esse pedido é difícil de atender. Mas você receberá o que está me pedindo se me vir quando eu estiver sendo levado para longe. Se você não me vir, não receberá. E assim foram andando e conversando. De repente, um carro de fogo puxado por cavalos de fogo os separou um do outro, e Elias foi levado para o céu num redemoinho. Eliseu viu o que aconteceu e gritou: —Meu pai, meu pai! O senhor sempre foi como um exército para defender Israel! E nunca mais ele viu Elias. Muito triste, Eliseu rasgou a sua capa pelo meio. Depois pegou a capa de Elias, que havia caído, voltou para a beira do rio Jordão e parou ali.” (2 Reis 2:1-13, Nova Tradução Na Linguagem de Hoje).
Segundo o ensino espírita, só reencarna quem morre. Se o profeta Elias não experimentou a morte, de que maneira poderia “reencarnar” na pessoa de João Batista? Impossível. Ficaremos com o relato bíblico ou com aquilo que diz o espiritismo sobre o assunto?
Além disso, noutra ocasião os judeus perguntaram a João Batista se era “Elias” que havia voltado do Céu. Com suas palavras claras e taxativas, sem dar margem para qualquer dúvida, o profeta respondeu que ele não era Elias, demonstrando que ambos, mesmo tendo vindo no mesmo espírito e missão emergencial (cf. Mt 17:10-13), eram pessoas totalmente diferentes:
“Eles tornaram a perguntar: —Então, quem é você? Você é Elias? —Não, eu não sou! —respondeu João. —Você é o Profeta que estamos esperando? —Não! —respondeu ele.
Por essas razões bíblicas, recomendo que nossos irmãos adeptos do espiritismo (e que aprecisam a Bíblia) reconheçam a impossibilidade de harmonizar a Escritura com o espiritismo. Por questão de sinceridade com nós mesmos, precisamos seguir os ensinos bíblicos ou os ensinos espíritas em relação à morte (e outros assuntos).
A pessoa que se permitir guiar por Deus na leitura das Escrituras perceberá que “reencarnação” e “ressurreição” são coisas por demais antagônicas. Norman Geisler foi feliz em demonstrar as diferenças gritantes entre uma ideologia e outra, em sua Enciclopédia de Apologética (São Paulo: Vida, 2002), p. 749. Para que tenha a comprovação bíblica para cada afirmação do referido autor no quadro comparativo, farei uma pequena adaptação acrescentarei os textos bíblicos ao lado:

Clique nesta imagem para ir ao site e conhecer o conteúdo do áudio livro
O que acha de participar de meu 1o Seminário de Pregação Bíblica e aprender algumas técnicas de pregação?

Preparei essas aulas com muito carinho porque acredito que Deus poderá revolucionar a maneira de você pregar. Inscreva-se agora mesmo clicando AQUI!

Ao acessar a página você terá as informações sobre a proposta do seminário, e saberá o dia do início das aulas. Convide amigos e, se tiver alguma dúvida, basta me escrever aqui no blog ou através da página onde disponibilizarei as informações do seminário.

As vagas são limitadas porque não posso atender muitas pessoas ao mesmo tempo. Portanto, corra e se inscreva agora .

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Concordo com o programa da TV Mundo Maior que há a presença espírita na Bíblia. Porém, a questão é que essa “presença” existe com o objetivo dos autores bíblicos condenarem o espiritismo, ao invés de sancioná-lo:
“—Algumas pessoas vão pedir que vocês consultem os adivinhos e os médiuns, que cochicham e falam baixinho. Essas pessoas dirão: “Precisamos receber mensagens dos espíritos, precisamos consultar os mortos em favor dos vivos!” Mas vocês respondam assim: “O que devemos fazer é consultar a lei e os ensinamentos de Deus. O que os médiuns dizem não tem nenhum valor.”” (Isaías 8:19-20, Nova Tradução Na Linguagem de Hoje).
Deve-se destacar que o objetivo dos escritores inspirados não é condenar aos irmãos espíritas, mas, mostrar-lhes o que a Bíblia realmente ensina sobre o assunto, através de seus próprios métodos interpretativos de examinar todos os textos sobre um referido assunto antes de se chegar a uma conclusão (cf. Lc 24:27, 44). O desejo de Deus revelado aos profetas é que entendamos a Bíblia por meio da própria Bíblia e que a examinemos por nós mesmos, ao invés de recorrermos, por exemplo, a Allan Kardec, e ler o texto bíblico sob a visão dele:
“Ora, estes de Beréia eram mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as coisas eram, de fato, assim.” (At 17:11).

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *