Sem categoria

Sexo no Sábado?

Se a relação sexual é do tipo concupiscente ou oposta à ordem natural estabelecida por Deus, será ilícita não só no sábado, mas em qualquer outro dia da semana. Quando se trata de uma relação legítima, fundada no amor como princípio racional, nenhum membro da igreja vê problema em mantê-las nos dias comuns da semana. Mas por que se questiona fazê-lo no dia do Senhor? Em relação a essa dúvida, temos visto e ouvido muitas discussões que não ajudam a unidade da igreja. Cremos que deve haver suficiente amplitude de mente e espaço eclesiástico para o pensamento das posturas que defendem o “sim” e o “não”. Não há motivo para dogmatizar em assuntos que são uma questão de consciência, sobre os quais não há um claro “assim diz o Senhor”, nem sequer uma palavra explícita no Espírito de Profecia.

Os que defendem o “não” apresentam o argumento de Isaías 58:13 e 14: “Se desviares o pé de profanar o sábado e de cuidar dos teus próprios interesses no Meu santo dia; se chamares ao sábado deleitoso e santo dia do Senhor, digno de honra, e o honrares não seguindo os teus caminhos, não pretendendo fazer a tua própria vontade, nem falando palavras vãs, então, te deleitarás no Senhor…”  A ideia é que não se pode fazer a própria vontade no dia de sábado, e fazer o ato sexual é, segundo eles, um ato voluntário próprio. Os que defendem o “sim” respondem a esse argumento dizendo que se o ato sexual se harmoniza com o plano de Deus para a sexualidade humana, aquilo que se faz não se opõe à vontade de Deus nem à santidade do sábado, muito ao contrário, exalta e a magnificas.

No sábado, eu decido ir à igreja, e esse é um ato de minha vontade, muito legítimo por certo, mas ninguém o questiona porque está em harmonia com a vontade de Deus. É a vontade divina que torno minha. Assim também acontece com a sexualidade, já que é legítima quando se harmoniza com essa vontade criadora que a inventou. Deus designou que fosse posta em ação a partir daquela primeira sexta-feira da criação, quando disse: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a Terra” (Gênesis 1:28). Isso não dá permissão à mera complacência carnal, naturalmente – como todas as coisas – desviada do ideal divino. É curioso que a ordem fora dada na sexta-feira, antes do pôr do sol, e que a oportunidade de concretizá-la pela primeira vez estava precisamente naquele glorioso primeiro sábado da criação, que Adão e Eva passaram juntos, inaugurando sua “lua-de-mel”. Daquilo que foi feito e dito na sexta-feira, Deus declarou que era “muito bom” (Gênesis 1:31), superlativo que inclui indubitavelmente a sexualidade para colocar em ação o maravilhoso fenômeno da procriação.

Outra coisa: a Palavra de Deus apresenta um pormenor significativo para nós hoje. Quando Adão e Eva foram apresentados um ao outro, diz-se-nos que “estavam nus e não se envergonhavam” (Gênesis 2:25). Essa expressão descreve para nós a transparência e intimidade física que faz com que os esposos possam estar despidos e desejar-se um ao outro. Isso facilita iniciar o jogo amoroso que os levará ao êxtase supremo do prazer planejado e ordenado pelo Criador. Quando se faz aquilo que foi planejado por Deus, nada pode torná-lo profano ou sujo, como tampouco fazê-lo violar o santo dia do Senhor, porque o santo não pode invalidar o santo.

Nossa opinião é que não há sabedoria em posições extremistas para o “sim” ou para o “não”. Referimo-nos aos que creem que é um grande pecado fazê-lo no sábado e aos que creem que não deve haver limite algum sobre o assunto. Não se deve impor nenhuma postura pela força de uma posição de liderança eclesiástica. Cremos que deve haver respeito mútuo entre os que defendem uma ou outra posição, e que finalmente cada um deve decidir. Em assuntos de consciência, cada qual deve ser deixado livre. Quando o casal não está de acordo, entretanto, já que um defende o “sim” e o outro o “não”, a decisão que aconselhamos é a favor do não. Dessa forma, aquele que crê ser errado fazer sexo não violará sua consciência moral, pecando consequentemente.

Por fim, nossa posição é que não há nada que possa tornar ilícito ou imoral o ato sexual no dia do sábado. Isto é, desde que seja um ato legítimo que não interfira com o dar a primazia a Deus e às atividades sagradas do sábado planejadas pela igreja. Também pensamos que, embora seja legítimo fazê-lo no sábado, não se deveria planejá-lo sistematicamente para esse dia, como tampouco para nenhum dia específico da semana, dando assim lugar à espontaneidade.

É errado fazer sexo no sábado?

Respondemos que não há nada sujo ou errado no sexo praticado como Deus manda [e não como o homem bem entende] e que, portanto, não violamos o dia do Senhor amando-nos sexualmente. Essa pergunta se encaixa no contexto da ideia de que o sexo tem em si mesmo algo mau e que por isso é incompatível com o dia santo.

Lamentavelmente, ainda existe na grande comunidade cristã o preconceito milenar de que o sexo teve algo a ver com o pecado original do casal edênico. Portanto, crê-se que é um “mal necessário” para procriar, mas que fora isso, praticá-lo por puro prazer é promover as “concupiscências da carne” e desejar o pecado. Tal postura é totalmente antibíblica, já que antes da queda o casal edênico recebeu a ordem de povoar a Terra, obviamente, amando-se sexualmente. Além disso, o pecado original está relacionado com a desobediência produzida pelo espírito de independência da vontade de Deus. Não há outro pecado original, e menos ainda que tenha alguma relação com o sexo. O que está claro na Bíblia, sim, é que o pecado degradou o sexo e o submergiu no lodaçal das paixões impuras e descontroladas. Mas, quando ele é praticado segundo o plano de Deus, é uma atividade que une e fortalece o amor. Também provê intenso prazer e produz a maravilha de um novo ser feito à imagem de Deus e à imagem de seus progenitores.

No livro de Provérbios, a relação sexual não tem limitações de tempo, pois está escrito: “Saciem-te os seus seios em todo o tempo; e embriaga-te sempre com as suas carícias” (5:19). Obviamente, em todo o tempo e sempre incluem os sete dias da semana. A propósito, recomendamos que leia e estude com oração todo o capítulo 5 de Provérbios. Esse capítulo contém as duas faces da paixão, a impura que leva ao adultério e a pura que conduz ao gozo delicioso do amor físico planejado por Deus.

Existe na Bíblia, entretanto, uma declaração específica que proíbe fazer sexo durante o período menstrual da mulher. Levítico 20:18 diz: “Se um homem se deitar com mulher no tempo da enfermidade dela e lhe descobrir a nudez, descobrindo a sua fonte, e ela descobrir a fonte do seu sangue, ambos serão eliminados do meio do seu povo.” (Ver também Levítico 18:19.) Vários séculos depois, o profeta Ezequiel registrou as palavras de Deus que relacionam o “homem justo” com aquele que não se chega “à mulher na sua menstruação” (Ezequiel 18:5 e 6). Hoje podemos compreender que, por razões higiênicas e estéticas, a penetração deve ser descartada durante as regras da mulher.

_____________________

Autor: Jorge M. Bruno & Maurício Bruno, Sexo: Respostas honestas a perguntas sinceras (Tatuí, SP: Casa Publicadora Brasileira).

Clique nesta imagem para ir ao site e conhecer o conteúdo do áudio livro

Tags:

2 comments

  1. Leandro no mesmo capítulo que diz que fica impuro, quando fizer sexo durante a menstruação da mulher, também diz que quando se tem relação sexual fica impuro por um periodo, imagine o povo de Deus impuro durante o sábado??
    Levítico: 15. 18. Sempre que um homem e uma mulher tiverem relações sexuais, ambos deverão lavar-se com água fresca e limpa, e serão considerados impuros até o final do dia. 24. Também o homem que tiver relações sexuais com uma mulher durante seu período de menstruação ficará impuro sete dias; e qualquer cama em que ele se deitar igualmente se tornará impura. 31. Advertireis os filhos de Israel a respeito de suas impurezas, para que não morram por causa delas, contaminando minha Habitação que se encontra no meio deles. – Bíblia JFA Offline

    1. Olá! Tem que diferenciar entre questões de saúde e rituais com questões espirituais. Não há relação entre um assunto e o outro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *