Adeus à graça barata!

“Perdoa-nos os nossos pecados, pois também nós perdoamos a todo o que nos deve” (Lucas 11:4).

Talvez a palavra mais importante na versão de Mateus, da Oração do Senhor, seja a palavra “como”. Pedimos a Deus que nos perdoe assim “como” perdoamos aos outros. Lucas emprega a palavra “pois”, embora a ideia subjacente seja a mesma. O perdão divino e o humano estão relacionados. Devemos perdoar, assim como somos perdoados.

Ora, isso não é fácil para a maioria de nós. A maior parte de nós gosta de receber perdão, mas não vamos além do nosso caminho a fim de buscar oportunidades para concedê-lo.

Jesus aqui está falando aos cristãos. E os cristãos são pessoas que experimentaram a grandeza das misericórdias de Deus. Na verdade, os cristãos são tão agradecidos que desejam transmitir a outros essas misericórdias.

 

 

Uma atitude como essa não surge naturalmente. Nascemos com o desejo de retaliar e pagar na mesma moeda o que fazem conosco. Nascemos com um coração que não perdoa facilmente.

Isso nos leva a um importante pormenor em Mateus 6:12. Os cristãos são pessoas transformadas. Eles não somente tomam parte no banquete da graça de Deus; também se tornam dispensadores dessa graça. Os cristãos são pessoas que chegaram a compreender que não podem amar a Deus sem amar os filhos dEle.

A graça barata denota que as pessoas recebem de Deus o perdão, mas depois voltam a viver a mesma “vidinha” de antes. Jesus, porém, põe um fim na graça barata. A graça de Deus por intermédio de Jesus não apenas perdoa nossas dívidas, mas também muda nossa vida pelo novo nascimento. Jesus não diz: “Aceite Meu perdão e continue a viver como antes”. Não. Ele diz: “Agora que você foi perdoado, vai agir como Eu. Vai cumprir as bem-aventuranças para ser misericordioso [Mt 5:7]. Vai procurar ser perfeito como é perfeito o Pai que está no Céu, porque você amará – e vai perdoar – até mesmo seus inimigos [versículos 43 a 48]”.

A salvação é um tecido sem costura. Você não pode ser perdoado ou justificado, sem ao mesmo tempo ser santificado e transformado. Os cristãos perdoarão como Deus perdoa; perdoarão da mesma maneira.

Amilton Menezes

Anterior Os adventistas e o legalismo
Próximo Fiel até a morte

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 718 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Sem categoria 0 Comentários

A inutilidade da vingança

Vingança! Algo tão valorizado pelas mídias sociais atualmente. Vale a pena se vingar? O que significa “olho por olho, dente por dente”?     “Ouvistes o que foi dito: Olho

FAQ - Dúvidas Frequentes 1Comentários

Trindade: 10 Perguntas Para Quem NÃO Crê

10 Perguntas Para Quem NÃO Crê na Trindade: 1. Se Jesus era menor do que Deus, como pode também ser “O mesmo ontem, hoje e para sempre” (Hebreus 13:8)? 2. Já

FAQ - Dúvidas Frequentes 0 Comentários

A mudança de paradigmas sobre a Antropologia Humana

Desde que Adolf von Harnack lançou a tese de que quase todas as coisas consideradas ortodoxia cristã (“o elemento católico”) são resultado da “helenização aguda do cristianismo”,1 o próprio fundamento

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comente este artigo!