Como devemos tratar o nosso próximo?

Como devemos tratar o nosso próximo?

Jesus declarou em Lucas 10:27-28: “Respondeu-lhe ele: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento, e ao teu próximo como a ti mesmo. Tornou-lhe Jesus: Respondeste bem; faze isso, e viverás.”

Que significa amar o nosso próximo como a nós mesmos? A Bíblia diz em Romanos 13:9: “Com efeito: Não adulterarás; não matarás; não furtarás; não cobiçarás; e se há algum outro mandamento, tudo nesta palavra se resume: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo.”

Tendo em vista esta perspectiva do amor a Deus e amor ao próximo, Jesus disse: “Tudo quanto, pois, quereis que os homens vos façam, assim fazei-o vós também a eles; porque esta é a Lei e os Profetas” (Mateus 7:12).

Veja mais aqui:

 

 

Gostou? Compartilhe com quem precisa deste conhecimento:
error20
fb-share-icon20
Tweet 20
fb-share-icon20
Anterior A Reforma Protestante e a união das igrejas
Próximo É possível ser cristão e maçom ao mesmo tempo?

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 798 posts

YouTuber e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "En La Mira de La Verdad", na Rede Novo Tempo.

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Bons Debates 0 Comentários

Justificação pela fé

Quando o pecador penitente, contrito diante de Deus, discerne a expiação de Cristo em seu favor e aceita essa expiação como sua única esperança nesta vida e na vida futura,

Bons Debates 4 Comentários

Debate sobre a imortalidade da alma (Parte 1)

Introdução Há algum tempo recebi os comentários de um irmão, doutor em Teologia, que crê na imortalidade natural da alma e, consequentemente, no “tormento eterno”. Logo abaixo transcrevo a resposta

Bons Debates 0 Comentários

Atualização sobre as “espécies” de animais que entraram na Arca

Por: Everton F. Alves Conforme artigo científico publicado recentemente na Academia Journal of Scientific Research, do qual eu sou um dos autores, existem cerca de 2 milhões de espécies vivas já catalogadas,

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comente este artigo!

Deixe seu Comentário