O fio que liga os corações

O fio que liga os corações

Sede, antes, servos uns dos outros, pelo amor. Gálatas 5:13.

O amor é o cordão de seda que liga entre si os corações. Não devemos julgar que nos precisamos pôr como modelos. Enquanto pensarmos em nós mesmos e o que nos é devido pelos outros, impossível nos será fazer nossa obra de salvar pessoas. Quando Cristo tomar posse de nosso coração, não mais faremos o estreito círculo do eu o centro de nossos pensamentos e atenções.

Que admirável reverência pela vida humana Jesus exprimiu na missão de Sua vida! Não esteve entre o povo como um rei, exigindo atenção, reverência, serviço, mas como alguém que desejava servir, erguer a humanidade. Disse que não viera para ser servido mas para servir. … Onde quer que Cristo visse um ser humano, via alguém necessitado de simpatia. Muitos de nós estamos dispostos a servir certas pessoas — aqueles a quem honramos — mas justo aqueles a quem Cristo nos queria tornar uma bênção caso não tivéssemos tanta frieza de coração, não fôssemos tão descorteses e egoístas, passamos por alto como indignos de nossa atenção. …

A grande lição do perdão precisa ser mais perfeitamente aprendida por todos nós. … A maior injustiça que podemos fazer aos outros é ser irreconciliáveis se julgamos que eles nos ofenderam de qualquer maneira. Esta é uma atitude muito perigosa para um professo cristão, pois da mesma maneira por que ele trata seus irmãos assim o tratará o Senhor do Céu.

Necessitamos ter mais elevada e distinta visão do caráter de Cristo. … Não devemos pensar em Deus apenas como juiz e esquecê-Lo como Pai amoroso. Coisa alguma pode fazer maior mal a nossa vida do que isso, pois toda a nossa vida espiritual é moldada segundo nossas concepções do caráter de Deus. Temos lições a aprender do amor de Jesus.

“Sede, pois, imitadores de Deus, como filhos amados; e andai em amor, como também Cristo vos amou e Se entregou a Si mesmo por nós, em oferta e sacrifício a Deus, em cheiro suave.” Efésios 5:1, 2. Eis a altura a que nos é exigido atingir no amor. E a textura desse amor não é manchada pelo egoísmo.

Ellen G. White, Nossa Alta Vocação, pág. 171.

Gostou? Compartilhe com quem precisa deste conhecimento:
error17
fb-share-icon20
Tweet 20
fb-share-icon20
Anterior Série espiritismo - Os médiuns – Estudo 6
Próximo A escolha de um marido ou esposa

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 788 posts

YouTuber e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "En La Mira de La Verdad", na Rede Novo Tempo.

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Aconselhamento Espiritual 0 Comentários

A ciência descobre Deus

Eminentes intelectuais do mundo ficaram chocados! Não poderia ser verdade o que estavam ouvindo! Em 9 de dezembro de 2004, a agência Associated Press divulgou a notícia de que o

Aconselhamento Espiritual 0 Comentários

A adoração da estátua: onde estava Daniel?

Onde estava Daniel quando ocorreu a adoração da imagem? A verdade é que ele já havia dado mostras de sua fidelidade a Deus e às Suas orientações desde o tempo

Aconselhamento Espiritual 0 Comentários

Nosso culto racional

Rogo-vos, pois, irmãos, pela compaixão de Deus, que apresenteis o vosso corpo em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus, que é o vosso culto racional. Romanos 12:1. O apóstolo

0 Comentários

Ainda não há comentários!

Você pode ser o primeiro a comente este artigo!

Deixe seu Comentário