Resposta para um ateu: Deus existe? Preciso de provas!

Resposta para um ateu: Deus existe? Preciso de provas!

Um ateu pergunta: “É verdade que existe um ser superior? Ou a humanidade apenas o inventou para não ficar sem explicação sobre sua existência? Se existe, preciso de provas.”

Tenho convicção de que o Criador lhe dará muitas evidências de Sua existência. Existem diversos relatos de ateus que passaram a acreditar em Deus após uma acurada pesquisa, e principalmente, através do trabalho de Deus efetuado em seus corações. Não podemos provar a existência de Deus em um laboratório. Um ser transcendente não pode ser compreendido pela ciência. Alguém disse: “Para compreender um gênio, somente um gênio; para compreender a Deus, somente um Deus”. Devemos aceitá-lo pela fé e pelas evidências que temos.

Nosso Pai Celeste fornece evidências de Sua existência de diversas formas: através da Criação, astronomia, leis científicas, arqueologia, história, por Sua ação na vida das pessoas, pela vida de Jesus Cristo, etc. Analisemos algumas delas:

Evidências na Criação

Quando analisamos as coisas criadas, todas elas nos ensinam que há um Deus Criador, Onipotente e Onisciente: “Mas pergunta agora às alimárias, e cada uma delas to ensinará; e às aves dos céus, e elas to farão saber. Ou fala com a terra, e ela te instruirá; até os peixes do mar to contarão. Qual entre todos estes não sabe que a mão do Senhor fez isto?” (Jó 12:7-9).

“Porventura, não está Deus nas alturas do céu? Olha para as estrelas mais altas. Que altura!” (Jó 22:12). “Quando contemplo os teus céus, obra dos teus dedos, e a lua e as estrelas que estabeleceste” Salmos 8:3.

“Levantai ao alto os olhos e vede. Quem criou estas coisas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais ele chama pelo nome; por ser ele grande em força e forte em poder, nem uma só vem a faltar” (Isaías 40:26).

Além da natureza nos convidar a contemplar a Deus nas obras criadas, as estrelas também o fazem. O estudo da astronomia nos auxilia nessa investigação.

Em Isaías 40:18 e 26, Deus faz estas perguntas a todos os ateus (não é o seu caso), que apesar das evidências, não querem crer: “Com quem comparareis a Deus? Ou que cousa semelhante confrontareis com ele? Levantai os olhos e vede. Quem criou estas coisas?” Ele continua: “Lembrai-vos das coisas passadas da antigüidade: eu sou Deus, e não há outro, eu sou Deus, e não há outro semelhante a mim” (Isaías 46:9).

Vejamos mais de perto a criação: o universo com suas bilhões de Galáxias (imagine quantos planetas existem nelas!); os instintos dos animais, que sabem a hora certa de hibernar, de adquirir alimentos, de desovar no período correto (peixes); o corpo humano, cuja complexidade é estarrecedora (o cérebro continua sendo um mistério aos cientistas): como explicar evolutivamente as mamas? Até que se desenvolvessem, os filhos morreriam de fome (o mesmo em relação aos demais mamíferos). E, se eles se alimentam de outra maneira, para que iriam necessitar do leite? E o olho humano? (até Darwin ficava intrigado com isso). Esse contém muitos músculos que trabalham harmoniosamente; a retina humana faz inveja aos cientistas especializados em computadores. Seus 100 milhões de bastonetes e de cones, e sua camadas de neurônios, realizam pelo menos 10 bilhões de cálculos por segundo! Seria possível a visão humana ter surgido por acaso? Darwin admitiu que isso era um problema quando escreveu: “Parece impossível ou absurdo, reconheço-o, supor que a [evolução] pudesse formar a visão”. [A Origem das Espécies, pág. 168] .

E assim, poderiam ser numerados muitos outros exemplos. Como disse o Biólogo Edwin Conklin: “A probabilidade de a vida originar-se por acaso é comparável à probabilidade de um dicionário completo surgir como resultado da explosão de uma tipografia”. Pode-se formar um dicionário através da explosão de uma tipografia? Claro que não! Imagine o universo com todas as suas criaturas, que é muito mais complexo!

Devemos aceitar o que está na Bíblia (Gênesis 1 e 2) no que diz respeito à criação do mundo.

 

 

Evidências através astronomia

“Levantai ao alto os olhos e vede. Quem criou estas coisas? Aquele que faz sair o seu exército de estrelas, todas bem contadas, as quais ele chama pelo nome; por ser ele grande em força e forte em poder, nem uma só vem a faltar” (Isaías 40:26).

Vejamos algo mais sobre as estrelas – o que elas nos mostram sobre a existência de Deus. Cada estrela, para manter-se em ignição e fornecer o calor e a energia sem os quais a vida seria impossível, gasta dezenas de toneladas de sua própria massa em cada segundo. Isso é lógico no sentido de que tudo que queima consome combustível (a única exceção que conhecemos é o milagre da sarça ardente que só Deus é capaz de realizar). De acordo com análises feitas por astrônomos e cientistas, se as estrelas consomem energia de si mesmas, elas não são eternas, pois a quantidade de massa que elas consomem – sua própria massa – (mais especificamente o sol) faria com que elas durassem apenas duzentos ou trezentos anos! Além de nos mostrar que as estrelas não são eternas – foram “criadas”, essa evidência nos mostra que “alguém está fornecendo esta massa para as estrelas consumirem”, pois se isto não acontecesse, elas não mais existiriam, pois elas consomem massa de si mesmas. E esse alguém é Deus! Veja o quanto as estrelas nos falam sobre Deus! Como disse o grande astrônomo William Herschell: “Louco é o astrônomo que não crê em Deus”.

 

 

Evidências Científicas

A Lei da causa e efeito também nos dá evidências da existência de um Criador. Estudando as estrelas e o espaço, vemos que toda essa organização não pode existir por acaso. “Onde há um plano perfeito, há um projetista perfeito”.

“A lei das causas e efeitos é uma realidade universal. Não importa quão inédita e criativa seja uma obra. Aquele que a planejou, estará num plano superior a ela. Os efeitos, são manifestações condicionais de uma causa; e a causa, sempre, em quaisquer escalas, supera em níveis de importância, aos efeitos – sejam eles quais forem. Isto quer dizer que, se há o universo (efeito), tem de haver um Criador (a causa) superior a tudo isto.

Evidências biológicas

A teoria conhecida como biogênese é uma evidência fortíssima em favor da existência de Deus. O cientista francês Louis Pasteur a propôs em meados do século XX. Que seria esta teoria? A doutrina de que toda a vida provém de vida. Ele provou isso em laboratório. Refutou a teoria conhecida como Abiogênese, que prega a “geração espontânea”, ou seja, a vida pode surgir de algo morto. Após a descoberta de Louis Pasteur, a Abiogênese caiu ainda mais no ridículo.

Evidências através de Jesus Cristo

Essa é a maior das provas acerca da existência de Deus. Além da Bíblia, a história e a arqueologia comprovam que Jesus existiu; enquanto Ele esteve na Terra, realizou muitos milagres, e inclusive ressuscitou mortos. Pergunto: Pelo poder de quem Ele fez isso? A única explicação é aquela dada por Ele mesmo: “Respondeu-lhes Jesus: Já vo-lo disse, e não credes. As obras que eu faço em nome de meu Pai testificam a meu respeito” (João 10:25). Sendo que Cristo passou por nosso mundo, devemos acreditar nEle quando afirma existir Deus.

A fim de crer em Deus, não basta apenas ter essas e outras evidências: devemos exercitar nossa fé através de um íntimo relacionamento com Ele por meio da oração, estudo da Bíblia e pela percepção de Sua atuação em nossa vida. Dependerá muito também de nossa busca: “Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração” (Jeremias 29:13). Tenha certeza de que Deus ouvirá o clamor de seu coração e com certeza sua vida se tornará cheia de sentido e significado ao crer nEle.

Finalizo com as Palavras do grande físico, matemático e astrônomo inglês Isaac Newton: “Este universo existe, e por esse único fato impossível, constitui-se em um milagre. Confirma um poder infinito, bem maior do que qualquer parte; uma unidade sustendo tudo, incluindo todos os outros mundos num só! É um mistério, o único indiscutível que conhecemos, implicando nele todos os atributos de Deus” (Citado em Mundos Maravilhosos de Philip L. Knox, pág. 47).

Clique nesta imagem para ir ao site e conhecer o conteúdo do áudio livro

Anterior Só o Pai é Deus? De maneira alguma! (João 17:3)
Próximo Quer ter prazer na Bíblia e na oração?

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 740 posts

Escritor e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "Lições da Bíblia"

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Apologética Cristã 0 Comentários

“E Toda a Terra Se Maravilhou” com o papa

Em Apocalipse 13 encontramos duas bestas. A primeira emerge do mar (verso 1) e a segunda emerge da Terra (verso 11). Uma surge onde há multidões e a outra se

FAQ - Dúvidas Frequentes 0 Comentários

Como entender Apocalipse 13?

Apocalipse 13 é um texto simbólico profético que faz menção às duas bestas: a que emerge do mar e a que emerge da terra. A palavra “besta” em profecia representa

Apologética Cristã 0 Comentários

As dispensações na Bíblia

Quais são as dispensações que Deus nos concedeu? Estamos sob a dispensação da graça?

2 Comentários

  1. paulo pirondi
    novembro 21, 19:00 Resposta

    Prezado Leandro: Você inicia sua apresentação de “provas” referindo-se à criação. O seu deus cria o Universo e as coisas nele contidas seguindo uma ordem absurda, veja só: ele cria a luz antes dos corpos que a produzem (sem dizer que, antes disso, ele vivia no escuro) cria um céu sólido como um espelho fundido, cria plantas antes de um sol que promova a fotossíntese, e mais uma infinidade de coisas realmente erradas. Qualquer caipira da roça faria a criação de forma muito mais racional, a despeito de não ser onisciente como seu chefão.
    Depois, você entra na área da Astronomia. Pateticamente. Demonstra não saber absolutamente nada de Astronomia, alegando que as estrelas consumiriam seu combustível em 200 ou 300 anos. Elas se consomem emitindo partículas sem massa, mas isso não deve ser muito compreensível para você porque a sua formação é em Comunicação Social e Teologia, o que o exime de ter conhecimento na área científica (Física, Química, Astronomia, Matemática etc.) Afirmando que Deus agrega massa para que suas estrelas continuem brilhando por mais tempo, você se coloca à disposição de quem quiser tachá-lo de ignorante, burro e pretensioso, fazendo alegações pretensamente científicas mas, na realidade, verdadeiras imbecilidades. Na próxima vez em que você arriscar expor argumentações científicas, assegure-se que não está se outorgando um diploma de burro. Consulte um especialista.
    No parágrafo das “provas” científicas, você vem com a cansativa história do design, que para haver alguma coisa complexa tem de haver um projetista mais complexo. Usando seu próprio argumento, posso afirmar que seu Deus teria de ser feito por um Deus ainda mais complexo… e assim por diante. Se tem um Universo (efeito), tem de haver uma causa: Deus. E se tem um Deus (efeito), tem de haver uma causa: um Super Deus. Nem vou perder meu tempo contestando uma argumentação tão fraquinha e pseudo científica como a sua.
    Quando você cita a abiogênese como prova de Deus, está dando um tiro no seu próprio pé, porque se a vida só pode provir da vida, nada mais pode originá-la. Inclusive o seu Deus. Mas a coisa não é realmente assim, aconselho você a estudar Biologia para não mais postar besteiras como essa e não passar por idiota convencido.
    Finalizando, você apresenta Jesus como outra prova da existência de Deus. O fato de Jesus ter existido nada tem a ver com a existência de uma divindade. Todos os seus argumentos se baseiam na Bíblia, o que demonstra que você é fundamentalista. Desculpe-me a franqueza, mas você foi irremediavelmente infeliz ao postar este texto. Não vou xingá-lo como o Bruno aí de cima, mas acho que ele teve razão para escrever o que escreveu. Abraços.

  2. BRUNO
    julho 16, 13:49 Resposta

    PUUUUUTA QUE PARIU QUE POSTAGEM BOOOOSTA. KKKKKKKKK PUUUTA QUE PARIU, VELHO

Deixe seu Comentário