Bons DebatesÉtica Cristã

A respeito do que penso sobre o deputado Jair Bolsonaro

Farei minhas considerações a respeito dos comentários de um amigo, gente boníssima e que respeitosamente discordou em sua página no Face a respeito do que afirmei sobre a pena de morte.

Antes, quero destacar o que escrevi num post anterior (veja no link: http://leandroquadros.com.br/em-quem-o-cristao-deve-votar/): sou apolítico e não defendo bandeira alguma. Quem leu meus artigos sobre a pena de morte viu que minha base é unicamente a Bíblia e nada mais. Isso não significa, porém, que eu seja um alienado político.   Veja meu artigo anterior no link supracitado e entenderá melhor o que estou dizendo.

O fato de eu concordar com o deputado Jair Bolsonaro em relação à forma como um criminoso hediondo deve ser punido, não significa que apoio o partido dele ou que seja adepto de todas as suas ideias. Todos possuímos aptidão intelectual suficiente para percebermos essa diferença.

Assim como você, caro leitor, não jogaria fora tudo o que um comentarista bíblico diz sobre um assunto por ele estar errado em certos pontos, eu também não jogarei fora a opinião correta de um deputado quando esta se harmoniza com o ensino bíblico. No meio acadêmico é mais do que natural concordar parcialmente com um autor sem, com isso, ser desrespeitoso para com ele ou militante em prol de suas ideias.

Precisamos ter habilidade para filtrarmos as coisas e sabermos o que é bom e o que não é. E nosso filtro sempre deveriam ser as Escrituras (At 17.11), não nossa ideologia moldada (mesmo que inconscientemente) por uma filosofia marxista que não quer compromisso nenhum com a religião.

Vamos ao que esse amigo escreveu. Antes, gostaria de perguntar a ele e a todos que discordaram de mim o mesmo que o internauta Leonardo Araújo perguntou: “Quantos leram o artigo que indiquei antes de questionar o que eu disse?” Temos um costume muito feio de expressarmos nossas opiniões sem considerarmos tudo aquilo que alguém disse a respeito do tema. Além disso, temos a tendência (também errada) de não considerar as implicações de nossas opiniões quando contrastadas com a Bíblia.

Portanto, peço que leiam meus artigos, especialmente o intitulado “Código Penal Bíblico versus Código Penal Brasileiro”. Nele fiz uma comparação entre a Bíblia e o ridículo código penal brasileiro e deixo visível (para quem quiser ver) que a contradição é tão flagrante que a única conclusão a que se pode chegar é que o código penal do nosso País teve a influência de Satanás.

Leia e avalie antes de me criticar. Repito: leia, caro internauta. O mesmo se encontra no seguinte link: http://leandroquadros.com.br/o-codigo-penal-biblico-e-versus-o-codigo-penal-brasileiro/

Meus demais artigos sobre pena de morte estão nos seguintes endereços:

http://leandroquadros.com.br/pensando-biblicamente-a-respeito-da-pena-de-morte/

http://leandroquadros.com.br/a-biblia-autoriza-a-pena-de-morte/

Vamos às minhas considerações para seguirmos na nossa discussão saudável:

1 – Foi dito que minha visão sobre direitos humanos à luz da Bíblia “não aguenta 10 minutos de Bíblia”. Se ele tivesse considerado o que dizem teólogos especialistas em Ética Cristã, teria percebido que não é assim. Por exemplo, Alan Pallister em sua obra Ética Cristã Hoje: vivendo um cristianismo coerente em uma sociedade em mudança rápida (São Paulo: Shedd Publicações, 2005), p. 139, 140, esclarece: “Teologicamente, não é correto afirmar que, devido à morte de Jesus na cruz, todos os homens possuem de fato a salvação e serão libertos do inferno. Esse argumento cai no erro do universalismo. Jesus morreu por todos na cruz, mas alguns são condenados com justiça pelos seus pecados. Na dimensão temporal, uma pessoa por quem Jesus morreu ainda pode ser condenada à morte […] O fato de Jesus ter aberto o caminho da salvação, por meio de Sua morte expiatória na cruz, providencia um lugar seguro no céu para aqueles que creem nEle. Não remove qualquer penalidade que a sociedade humana se veja na obrigação de aplicar”.

Norman Geisler é outro autor a ser considerado quando o assunto for pena de morte à luz da ética bíblica.

2 – Foi argumentado que minha explicação de Gênesis 9.6 está errada por causa do que Jesus disse em Mateus 5.38-48. Se o nome amigo tivesse lido materiais da própria igreja à qual pertence, teria evitado tal deslize. Por exemplo, o Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia, vol. 1, p. 254, assim explica Gênesis 9.6: “Deus vingaria ou puniria todo assassinato; porém, não diretamente, como o fez no caso de Caim, mas indiretamente, colocando na mão do ser humano o poder judicial […] A injunção divina confere poder judicial ao governo temporal e coloca a espada em sua mão. Deus tomou o cuidado de erigir uma bandeira contra a supremacia do mal e, assim, lançou a fundamento para um desenvolvimento civil ordenado da sociedade”.

Isso teria esclarecido que a orientação de Jesus em Mateus 5.44-48 é direcionada a civis que se relacionam interpessoalmente, e nada tem a ver com a autoridade que Deus deu ao estado para punir o criminoso – algo claro até no Novo Testamento, como lemos em Romanos 13.1-4, por exemplo.

Todo cristão adventista do sétimo dia deveria também estar familiarizado com o artigo de José Flores Júnior, publicado originalmente na Revista Kerygma (Ano 6, Número 2 – 2º Semestre de 2010, p. 90-98), do Unasp, intitulado “Não Matarás: Uma Reflexão Sobre os Argumentos Contra a Pena de Morte à Luz do Sexto Mandamento”. A leitura do referido material teria esclarecido que a Bíblia é totalmente a favor da pena capital, e que os “argumentos” contrários a ela não passam de conjecturas determinadas por sentimentos humanitários e não pelo ensino bíblico.

O mesmo artigo foi publicado novamente (de forma resumida) na Revista Adventista de março de 2015.

Deixo a seguir o link para que todo leitor esteja familiarizado com o tema antes de entrar em uma discussão sem os devidos argumentos bíblicos: http://leandroquadros.com.br/wp-content/uploads/2016/07/Significado-do-mandamento-N%C3%A3o-Matar%C3%A1s-e-a-Pena-de-Morte.pdf

Para finalizar, o amigo se precipitou em sua conclusão a respeito do que eu disse sobre a indenização das vítimas. Se ele tivesse visto meu vídeo com atenção e analisado meus artigos, perceberia que apenas contrastei a forma como o Estado lida com as famílias dos criminosos e a maneira como age com as famílias das vítimas (e mais: não analisei todos os casos, mas aqueles que fazem parte do meu foco: o contraste). Ou seja: o que estou argumentando é que, se tivesse que escolher quem deveria ser indenizado, deveriam ser as famílias das vítimas.

Minha opinião completa (um dia escreverei sobre isso), em suma, é que o criminoso deveria:

  1. Trabalhar para ter seu próprio sustento e gerar riqueza para a sociedade.
  2. Trabalhar para sustentar sua família, tirando essa obrigação de nossas costas que pagamos com nossos impostos “pensões” que eles é quem deveriam pagar.
  3. Trabalhar para sustentar a família daquele que ele matou (ou invalidou). Refiro-me àquele que matou sem intenção (criminoso tem sim que pagar com a própria vida, como diz Gênesis 9.6), como num acidente de trânsito, por exemplo. Tal indivíduo não merece a pena capital, mas deveria pelo menos sustentar até a maior idade os filhinhos daquele que ele matou por causa de sua imprudência no trânsito.

Considerando que “mente vazia é oficina de satanás”, um criminoso que trabalhe arduamente terá menos tempo de pensar em bobagens, aprenderá uma profissão e poderá novamente ser reintegrado à sociedade com segurança.

Lamento que muitos adventistas do sétimo dia desconheçam o comentário bíblico de sua própria denominação religiosa a respeito de Gênesis 9.6. Entristeço-me por não se familiarizem com conceituados professores de ética cristã e estejam mais comprometidos com suas ideias pessoais do que com o texto bíblico.

Lamento mais ainda que alguns internautas e até um profissional da área da psicologia (não o amigo que escreveu sobre mim, que foi muito educado comigo) – não tenham promovido uma discussão saudável, deixando de fazer uso do princípio de Colossenses 4:6, dando desse modo um mau testemunho do poder transformador do evangelho: “A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um”.

Por isso, não continuarei qualquer tipo de discussão com aqueles que não considerarem Colossenses 4.6, e que não leram meus artigos sobre o tema. Também desconsiderarei qualquer post ou comentário que não tenha base bíblica séria. Não perderei meu tempo lendo comentários do tipo “eu acho”, “eu penso assim”, porque o que pensamos ou deixamos de pensar não me interessa nem um pouco, mas um claro “Assim Diz o Senhor”.

Sou um grande pecador e não me julgo merecedor de fazer o trabalho que faço. Mas uso o cérebro para pensar e continuarei fazendo-o enquanto Deus o permitir e me der vida para isso.

Agradeço a tal amigo e a todos que discordaram de mim de maneira ética, cristã e polida.

Um abraço a todos!

 

Veja o vídeo aqui:

Tags:

35 comments

  1. Leeeeandroooo !
    Sou seu fã desde sempre !
    Acredito piamente na verassidade de todos os argumentos(sou estudante de teologia do UNASP)…
    Queria, se fosse possívem, abordasse o tema “defesa pessoal armada” em um artigo ou mesmo no seu programa…
    O texto base seria Lucas 22:35-39
    Creio que ele alude consistentemente a Jesus manifestando sua preocupação com o direito individual á vida inerebte a cada um….
    Abraços !
    (Manda um abraço no seu programa para os alunos do 2°B de Teologia, só alguns kkkk…)

    1. Obrigado por sua opinião e carinho, Vinícius 🙂 Agradeço também pela sugestão. Grande abraço!

      1. Respeitosamente quero dizer que o seu erro foi ter mencionado o nome de Bolssonaro em uma reunião como aquela já que o candidato é um pré candidato a presidente da republica. Temos irmãos que não entendem bem a proposta politica ( não sabem nada de politica) e por tanto tinham dúvidas sobre a mesma. Notoriamente os vi depois do seu comentário muita gente dizendo que agora tem em quem votar. Na sua fala vc destaca que não quer fazer campanha politica porem sem querer já o fez. Internet, watzzap e instagram de seguidores de Bolssonaro já usam seu video alegando ser apoiado por vc! Infelizmente é assim que funciona a politica brasileira oportunista.

  2. Infelizmente o marxismo cultural dominou até os membros da igreja, espero que um dia entendam o posicionamento errado em que estão e coloquem a Bíblia acima das filosofias humanas. Caro Leandro Quadros, mais uma vez obrigado pelo esclarecimento, sou o Adriano, que te cumprimentou sábado dia 8 na Central de Curitiba e que te convidou pra vir na minha casa, eu não sei se posso colocar email aqui mas deixo o meu whatts, prometo que não vou te encher de perguntas, pois tenho ciência de que é um homem ocupado e não ficarei lhe incomodando, mas quero muito ter sua amizade, meu número é 41-997129360, um grande abraço e que Deus te abençoe.

  3. Também penso que o sistema carcerário e que nosso código penal sejam ineficientes em vários ou até em todos aspectos. Penso também que ao relacionar o que se pensa (mesmo que seja um pensamento justo) com o pensamento de um ser humano escancaradamente racista, homofóbico, misógino… o senhor não esperava apenas aplausos, né?
    O estranho para nós é ver alguém que em seu programa trata todos com tanto respeito, relacionar mesmo que indiretamente a própria imagem a de um homem que exaltou que exalta torturadores…

    1. Estimada Silvana: repito o que coloquei no post: O fato de eu concordar com o deputado Jair Bolsonaro em relação à forma como um criminoso hediondo deve ser punido, não significa que apoio o partido dele ou que seja adepto de todas as suas ideias. Espero que faça essa diferença.

      Além disso, com carinho e respeito quero lhe deixar algumas perguntas: você realmente pôde confirmar suas impressões a respeito do deputado Bolsonaro ou se deixou influenciar pela opinião de uma mídia esquerdista e diabólica? Viu todas as entrevistas dele ou lhe escreveu um e-mail pedindo esclarecimentos sobre suas reais posturas?

      1. O senhor realmente tem razão, não devo sair por aí rotulando pessoas que nem conheço. Vou procurar conhecer melhor o Deputado e espero mesmo estar enganada.

      2. Pastor, depois de sua resposta, fiquei pensando e não consigo achar o meu comentário legal… o senhor poderia apagá-lo por favor? Não quero estimular comportamentos como o que tive…e por favor me perdoe!

      3. Irmão tenho uma pergunta:

        Por que citou o deputado Jair Bolsonaro? Você poderia colocar seu argumento sem vincula-lo a uma pessoa polêmica e cheia de ódios?

      4. Pastor querido es mesmo um homem sabio de Deus !!!pra ter tanta paciencia em explicar as coisas pra quem n quer entender…ja ficou tao claro que o Sr n apoia o Jair apenas pegou algum pensamento bom dele,pq ele é sincero em muitas colocaçoes a luz da Biblia,e as pessoas ja te condenam por isso e por aquilo.que Deus te ilumine cada vez mais e mais! e irmaos leiam mais a Biblia e n acreditem em tudo q veem na internet.graça e paz!

  4. Leandro Quadros,

    Obrigado pelos esclarecimentos, mas o que mais me entristeceu nesse episódio não foram os aspectos com os quais você concorda ou não. Acho louvável mostrarmos nosso ponto de vista. Fiquei triste ao ver você chamar o moço que fez a pergunta ao deputado de imbecil. Dessa forma, eu fiquei ofendido. Penso que nesse caso, poderia ponderar melhores as palavras. Obrigado pelo espaço. Fraterno abraço.

    1. Caro Miguel: agradeço por sua observação e procurarei controlar melhor minhas palavras para que seja um melhor cristão. Um abraço e que Deus o abençoe!

    2. Mas o cara que fez uma pergunta daquelas é imbecil mesmo.

  5. Querido irmao Leandro, tenho imenso respeito pelo senhor e por suas colocacoes. Seus videos respondendo a duvidas biblicas sao sempre muito esclarecedores.
    Gostaria de fazer algumas ressalvas quanto ao artigo apresentado. Sou advogada, e durante a faculdade, me aprofundei um pouco na questao da dignidade da pessoa humana e sobre direitos humanos, em uma iniciacao cientifica.
    Dizer que direitos humanos sao uma ideologia petista é de uma extrema falta de conhecimento. A propria ideia de que os direitos humanos somente servem para “defender bandido” é totalmente equivocada.
    O senhor é um formador de opiniao e muitas pessoas simples que desconhecem sobre o assunto abordado tomam sua ideia como fundamento verdadeiro.
    Nao espero que o senhor mude de opiniao, somente peço para que se informe um pouco mais sobre o assunto. O senhor vai se surpreender estudando sobre a questao!

    No mais, a comparacao entre a biblia e o codigo penal é um tanto simploria e nao leva em consideracao a cultura, o regime politico, o lugar e o tempo (milenios nos separam daquela cultura).
    Me corrija se estiver errada, mas essas eram leis civis do povo de Israel, e assim como as leis cerimoniais, poderiam ser alteradas (diferentemente da Lei Moral – imutavel).
    Dizer que nosso Codigo Penal deve seguir as leis civis do antigo testamento pode ser comparado a dizer que precisamos manter as leis que regiam o santuario. Podemos nos inspirar nas leis civis do povo daquela epoca, mas de forma alguma podemos dizer que elas necesariamente devem ser seguidas como foram apresentadas ao povo de Israel naquele momento, unicamente pelo fato de serem biblicas.
    Sabemos que muitas das normas civis e cerimoniais que Deus deixou para o povo eram especificas para um tempo determinado.
    Como exemplo, a questao do “olho por olho, dente por dente” foi revisada por Jesus, seculos depois.

    Concordo que a impunidade gera em nos uma revolta. Mas conhecendo um pouco mais de perto o sistema judiciario, acredito que o nosso maior problema nao seja o codigo ou o tamanho da pena, mas a forma como essa pena é aplicada e o processo que leva a punicao.

    Enfim, tenho sempre muito cuidado quando expresso uma opiniao publica sobre um assunto que nao diz respeito a minha area de conhecimento, para nao cometer o equivoco de me passar por leviana ou desinformada. Desejo que o senhor tenha o mesmo cuidado, pois um artigo “tecnicamente equivocado” sobre a relacao entre a Biblia e o Direito pode fazer com que pessoas especializadas nessa area criem descredito com relacao a seus artigos sobre assuntos exclusivamente biblicos (area em que o senhor apresenta total dominio intelectual e espiritual).

    Fique a vontade para excluir esse comentario. Ele é direcionado unicamente ao senhor.
    Que Deus continue te abencoando.

    Obs.: perdao pela falta de acentuacao. Problemas no teclado.

    1. Querida Eduarda: agradeço por suas considerações respeitosas e farei alguns breves comentários:

      1: Os Direitos Humanos no Brasil ainda não me provaram que as vítimas também são beneficiadas. Não sou contra Diretos Humanos em si, mas sim contra os falsos direitos humanos que desconsideram o valor da vida da vítima à luz de Gênesis 9.6.

      2: Sua compreensão quanto ao AT e a validade de suas leis não pode ser apoiada por Mateus 5.17-19. A palavra grega para “cumprir” – pleroo – usada no verso 17 significa “completar”, “encher”. Cristo está justamente dizendo que veio “encher” a Lei de Moisés e os Profetas no sentido de dar a eles o verdadeiro significado, ao invés de abolir um acento sequer de tais escritos.

      Sugiro que reavalie sua posição à luz do texto bíblico e que leia o artigo acadêmico de José Flores Júnior intitulado “Não Matarás: Uma Reflexão Sobre os Argumentos Contra a Pena de Morte à Luz do Sexto Mandamento”. Com certeza, lhe ajudará muito a ter um entendimento mais bíblico da pena capital. O artigo pode ser lido no seguinte link: http://leandroquadros.com.br/wp-content/uploads/2016/07/Significado-do-mandamento-N%C3%A3o-Matar%C3%A1s-e-a-Pena-de-Morte.pdf

      3: Meu artigo foi revisado por um amigo Ph.D em Direito, professor de uma grande universidade em nosso País. Ele até me repassou algumas fontes para complementar o material. Desse modo, não creio que tenha escrito algo que esteja “tecnicamente equivocado”. Sinceramente, consultarei ele a respeito.

      Sugiro que leia o livro Citações Jurídicas na Bíblia, de Átila J. Gonzalez e Ernomar Octaviano. Não ignoro seu conhecimento da área jurídica. Jamais! Quem sou eu para fazer isso. Apenas questiono o tipo de fonte com a qual mais se familiarizou em sua faculdade.

      Um abraço e que Deus a abençoe ricamente!

  6. Muito bom professor Leandro Quadros. Que Deus continue lhe concedendo sabedoria. Que caiam bênçãos de Deus sobre vc e sua família.

  7. Obrigado pelo esclarecedor estudo na comparação entre o Código Penal brasileiro e a visão penal da Bíblia!

    Hoje o único candidato tem quem ideias que se aproximam da visão bíblica é Jair Bolsonaro. Ex: Como relação a questão do casamento entre pessoas do mesmo sexo.

    Os críticos não conhecem que Deus é Justiça!

  8. Até você caiu no conto do vigário. Seria interessante você se despir desse poder todo aí e repensar os pontos cegos do teu discurso. Há falhas. Feias. Mas não é numa discussão que irá entender.

    1. Vazio seu comentário, Emerson. Que base bíblica me apresenta que possa me ajudar a repensar meu discurso? Ficarei no aguardo.

  9. Não achei que ele discordou de forma respeitosa, e ainda colocou várias frases suas fora do contexto dando outra conotação. Fez também afirmações e questionamentos infantis até, não é possível que ele não entendeu o que quis dizer com mídia manipulada, e outras coisas. Parabéns pelo comentário, muita gente que viu seu vídeo na página do Bolsonaro vai assistir o na mira da verdade e pesquisar mais sobre nossa visão bíblica por causa desse vídeo porque comentaram lá sobre vc e teve muita visibilidade. Só ressalto 2 pontos, de tomar cuidado de assuntos políticos porque muita gente fica à flor da pele de forma irracional até as vezes, e também que no vídeo quando comenta “um imbecil perguntou para o bolsonaro”, não fica nada legal um pastor se referir assim à alguém. Espero que tenha conseguido discordas nesses 2 pequenos pontos de forma respeitosa de verdade rs. Grande abraço e admiro muito seu trabalho!

    1. Caro Evandro: com certeza darei atenção aos seus dois conselhos para que eu seja um cristão ainda melhor. Muito obrigado pela forma respeitosa como me ensinou 😉 Grande abraço!

  10. Amém!

  11. Professor
    Estou preocupada com sua integridade física! Então prometa jamais dizer que “açaí tem gosto de terra!”

    Pronto!
    Acendam as fornalhas!!! Kkkkkkkk…

    Concordo e em muito com a exposição que fizeste. Trabalhei no serviço social no submundo de Porto Alegre, sofri tbm sendo vítima dessa violência alarmante e posso lhe afirmar: o mundo não é tão cor de rosa como alguns irmãos pensam… falta muita discussão, estudo e orientação sobre muitos assuntos “tabus” na igreja… e assim, muitos cristãos padecem, pela falta de conhecimento…
    Um abç!

  12. Concordo com cada vírgula que você escreveu em gênero, número e grau.

  13. Caro irmão em Cristo, em fico feliz em ver que alguém tenha a coragem pra externar suas opiniões, principalmente sobre tais assuntos, parabéns por sua iniciativa.
    Eu tenho algumas considerações sobre tal assunto, em primeiro lugar não vejo o código penal como algo ridículo , muito menos diabólico, outra coisa, quais as famílias de detentos que são de alguma forma, indenizados, salvos os casos em que o estado por completa incapacidade não garantiu nem mesmo a segurança, ou direito a vida do preso.
    Como estudante de direito e um pesquisador, na área criminológica percebi uma grande discordância nos temas abordados, pois quando esse tema é abordado dessa forma traz ainda mais insegurança, mas é a sensação que temos, afinal de contas, a imprensa, brasileira, insiste em destruir o próprio pais através desses de reportagens “vendidas” disseminando uma apologia ao crime, disfarçada de justiça, eu como instrutor bíblico, que visita presídios não vejo as coisas dessa forma, tanto que entrei no ramo do direito.
    Outra coisa, eu como estudante da bíblia concordo com o caro irmão quanto a questão da pena capital, é claro que em alguns casos se faz necessário, mas são casos específicos, muito específicos, todavia generalizar e dizer que nada presta seria no minimo superficial, e pra finaliza, se poder visite um presidio, tenho absoluta certeza que seria muito legal, ou mesmo a família de algum detento isso com certeza ajudaria muita gente a esclarecer tais inquietações.
    Em suma, nosso código penal, bem como nosso código de processo penal não são códigos de vingança, são códigos de ressocialização. Não exijo do nobre irmão que traga um comentário técnico do assunto, entendo sua posição como cidadão, e esse é um clamor geral, mas, sem bom senso certamente sofreremos retrocessos que nos jogará nas trevas da inquisição e tudo que vivemos não servirá em nada, ou seja o perigo bate em nossa porta.

  14. Gostei muito do artigo e o embasamento bíblico sobre o assunto. Apesar de toda a crítica e polêmica gerada nas redes sociais, oro para que o Espírito de Deus continue te dando sabedoria, força e coragem no seu Ministério. Infelizmente o inimigo usou muitas pessoas (ateus e cristãos) para te agredir e desmotivar, o que particularmente como cristão e admirador do seu trabalho me chateou bastante, mas a guerra espiritual é assim, o importante é manter o foco em Cristo e “combater o bom combate”. Muitos te criticaram sobre a exposição da igreja por causa dos debates, mas João Batista, Pedro, Paulo e o próprio Cristo foram líderes que gostavam de fazer as pessoas pensarem e não fugiam da luta. Tenho certeza que Deus vai usar a oportunidade para atrair mais pessoas a Cristo.

  15. Graça e paz Professor Leandro Quadros,

    Gosto muito de seus comentários equilibrados e muito bem embasados no Assim Diz o Senhor, mas o que mais me chama a atenção é sua postura madura e humilde diante de uma critica construtiva. Noto assim o Principio de Provérbios 15:33 em sua vida.

    Forte abraço.

  16. Olá professor.
    Atento que sua postura humilde e equilibrada nos diálogos lembra muito a de Uriah Smith na polêmica de 1888. Creio que o senhor conheça a obra de George Knight sobre o caso e as mesmas ressalvas que ele faz no livro “A Mensagem de 1888” poderiam lhe ser muito úteis, inclusive quanto à estrutura de sua atuação missionária.

    Saudações e a bênção de nosso Senhor sobre ti.

  17. Eu simplesmente acho fantástico os seus artigos Pr. Leandro, gosto mais ainda a forma clara e objetiva como comenta as opiniões dos internautas, sem rodeio e nem mimimi.
    Parabéns pelo trabalho e que Deus continue usando sua mente para compartilhar o evangelho de uma forma mais atual e cotidiana.

  18. Prezado professor Leandro Quadros….assim como você,procuro ser um fiel estudante da bíblia e ao mesmo tempo não me tornar um alienado político. Tenho acompanhado atentamente as entrevistas de Jair Bolsonaro, porque escrever na verdade ele pouco escreve. Concordo com suas interpretações bíblicas sobre a defesa pessoal e o castigo dos transgressores. Tenho no entanto, aversão às ideias de Bolsonaro porque, embora parecendo cristãs, vem de tal forma misturadas com ódios e preconceitos, que fica difícil separar o que é bom. Ainda assim assim, respeito o seu direito de manifestar-se sobre seu ponto de vista pessoal sobre o deputado, direito que também reservo para mim. O problema, se me permite dizer, tem muito a ver com o local onde você fez suas afirmações: uma igreja. Em qualquer outro lugar podemos expressar nossas opiniões claramente, mas no recinto sagrado, todo cuidado é pouco, pois o próprio manual da igreja afirma que “o púlpito não é um foro”. Embora você não estivesse literalmente num púlpito,estava à frente da igreja. Podemos ser simpáticos ou não do Bolsonaro ou qualquer outro político. Citar isso dentro da igreja é o que faz começarem os problemas….

  19. Professor Leandro Quadros…me esclareça uma dúvida, por favor…o irmão disse que gosta de do deputado Jair Bolsonaro, embora ele seja “louco em alguns aspectos” …Que aspectos seriam esses??

  20. Leandro, tenho uma dúvida e não consegui achar resposta e gostaria da sua ajuda: tenho um irmão esquizofrênico e ele recebe benefício do INSS, por conta da sua doença. A minha dúvida é : eu devo dizimar o benefício dele, uma vez que ele não tem consciência de seus atos? Se eu o fizer, Deus estará considerando o dízimo em nome de meu irmão ? Obrigada e parabéns pelo seu blog.

  21. Caro Leandro, tudo bem? Quando tiver um tempinho de uma lida na página 22 do excelente livro de Hans K Larondelle, Nosso Criador Redentor(Unaspress). Tem um parágrafo ali relacionado ao tema de sua postagem. (se não tiver o livro é só avisar que, nesse caso, eu copio o conteúdo aqui) Um abraço.

  22. Bom dia amados..

    Sinto me na obrigação de comentar algo.
    Tenho 45 anos dos quais 25 dedicados à população , trabalho todos os dias na busca incansável em dar o meu melhor para uma sociedade mais justa. Já vi vários colegas morrerem, e enfrento a morte constantemente. Nos últimos anos, apesar de todo esforço que como profissionais estamos fazendo, vemos que cada dia que passa a “JUSTIÇA BRASILEIRA” defende mais e mais as ações criminosas dos marginais.

    Nós estamos “ENXUGANDO GELO” nos conduzimos o marginal, homicida, estuprador, etc , até a presença da autoridade competente, ou seja o delegado, este.por. aua vez faz o procedimento é quando chega às mãos da “JUSTICA” ou seja, os juízes do povo, estes interpretam nossa “LEGISLAÇÃO cheia de vícios e falha” e em sua maioria libera o meliante da acao criminosa. E a VÍTIMA? ? infelizmente a vítima é vista muitas vezes como apenas mais uma vítima. A justiça pouco se importa, na verdade nossa “JUSTIÇA” se preocupa mesmo é em atender os.reclames dos advogados protetores dos DIREITOS HUMANOS.

    Sou POLICIAL MILITAR e apesar de ainda ter força e coragem para continuar dando o meu melhor, não vejo a hora de pedir a reserva “APOSENTAR”.

    Vejo uma sociedade ingrata, cheia de inversão de valores. DIREITOS HUMANOS aqui no Brasil infelizmente apenas e tão somente vejo funcionar para quem pratica ação criminosa e vem a ser reprimido pela POLICIA,

    Em 25 anos de serviço ainda não vi manifestação dos ditos defensores dos “DIREITOS HUMANOS” em visitar ou dar apoio às famílias de vítimas destes criminosos e muito menos visitar os quartéis para palestrar em defesa de nossos colegas mortos apenas e tão somente porque eram policiais e estavam defendendo está mesma sociedade que os recrimina.

    Fica meu registro.

    IRMÃO LEANDRO, que Deus continue te abençoando e quando a proteção e sabedoria divina continue habitando em vossa mente para nos ensinar ainda mais.sobre as escrituras sagradas.

    Abraço

    Paulo Machado

    1. Seu depoimento vale outro, Paulo. Vivemos numa sociedade ingrata para com a polícia que julga o todo por uma minoria que não trabalha com ética e dedicação. Uma vergonha e uma baita desvalorização da vida policial e das vítimas essa tal ideologia diabólica de “direitos humanos” existente no nosso País!

      No juízo final Deus retribuirá a você e a muitos policiais honestos. E castigará fortemente os responsáveis pelas leis ridículas que protegem a bandidagem.

      Siga firme meu irmão porque Jesus voltará e cobrará pesado deles.

      Grande abraço!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *