É impossível o arrependimento de acordo com Hebreus 6:4-6?

É impossível o arrependimento de acordo com Hebreus 6:4-6?

A seguir, disponibilizo a resposta do Prof. Pedro Apolinário (que hoje descansa no Senhor) sobre um texto que tem deixado muitos cristãos perplexos. Foi extraída e adaptada do livro “Leia e Compreenda Melhor a Bíblia” (agosto de 1985 – segunda edição ampliada), pág. 111-114.

Tenho certeza de que o estudo contextualizado de Hebreus 6 lhe dará esperança e a certeza do amor de Deus por cada pecador – não importa o quanto tenha ido longe (desde que se arrependa)!

Vamos ao estudo do professor Apolinário:

Em Hebreus 6:4-6 lemos: “É impossível, pois, que aqueles que uma vez foram iluminados, e provaram o dom celestial, e se tornaram participantes do Espírito Santo, e provaram a boa palavra de Deus e os poderes do mundo vindouro, e caíram, sim, é impossível outra vez renová-los para arrependimento, visto que, de novo, estão crucificando para si mesmos o Filho de Deus e expondo-o à ignomínia”.

Estes versos, através dos séculos, têm deixado seus leitores angustiados e perplexos, por que a primeira vista parecem ensinar que não há esperança de arrependimento ou de aceitação divina para aqueles que aceitaram a Cristo e depois O rejeitaram.

Clique nesta imagem para ir ao site e conhecer o conteúdo do áudio livro

Para melhor compreensão do problema, Hebreus 6:4 deve ser estudado juntamente com as declarações que tratam do mesmo assunto em Hebreus 10: 26-31 e 12: 15-17; 25-29.

Há várias interpretações sugeridas para solucionar os aparentes paradoxos desta passagem com as demais doutrinas escriturísticas, destacando-se entre estas as arminianas e as calvinistas, apresentadas por Russell Champlin em O Novo Testamento Interpretado, vol. 5, págs 537 e 538.

Em uma coisa os comentaristas estão de acordo: há neste trecho referências ao pecado da apostasia.

Declara o Comentário Bíblico Adventista do 7º Dia“Entre as várias opiniões que têm sido sugeridas, duas são dignas de consideração:

“1o) Que a apostasia aqui referida é o ato de cometer o pecado imperdoável (Mateus 12:31-32), uma vez que esta é a única forma de apostasia que é sem esperança;

“2o) Que a passagem corretamente compreendida não ensina a absoluta desesperança da apostasia aqui descrita, mas uma desesperança condicional (Hebreus 6:6). A maioria dos comentaristas aceita a primeira alternativa, embora a segunda tenha méritos e possa ser baseada no grego”.

Como bem salientou Cotton: “nada pode existir nesta passagem que nos leve a duvidar da total misericórdia de Deus, pois do contrário, esta passagem destruiria o evangelho”.

Deduzimos da leitura de Hebreus 6:4-6 e das outras passagens correlatas, que Paulo fala de pessoas que propositadamente rejeitaram a Cristo e os princípios do evangelho.

As afirmações aqui consignadas pelo apóstolo trouxeram sérios problemas para a igreja cristã, especialmente durante as perseguições, quando alguns fraquejaram e posteriormente arrependidos de terem sido tíbios na fé quiseram voltar. E, infelizmente, muitas comunidades cristãs não queriam aceitá-los escudados em Hebreus 6:6.

A seguinte verdade não pode ser esquecida: Cristo está sempre de braços abertos para receber o mais indigno pecador, que reconhece o erro e apela pelo perdão, como nos relata Mateus 18:22 e se comprova na triste experiência de Pedro. Em contrapartida, outra verdade escriturística deve ser lembrada: não há esperança para quem consciente e deliberadamente rejeita os ensinamentos de Cristo e o seu sacrifício vicário em nosso favor.

Gostou? Compartilhe com quem precisa deste conhecimento:
error17
fb-share-icon20
Tweet 20
fb-share-icon20
Anterior Romanos 9:13-18 e a predestinação
Próximo Jesus, sábado, a marca da besta e o proselitismo

Sobre o autor

Leandro Quadros
Leandro Quadros 797 posts

YouTuber e apresentador dos programas "Na Mira da Verdade" e "En La Mira de La Verdad", na Rede Novo Tempo.

Veja todos os posts do autor →

Veja também

Sem categoria 6 Comentários

Processo de doação de sangue é simples e salva vidas

Doar sangue é uma maneira de ser solidário. Pensando nisso, o Centro Universitário Adventista de São Paulo (Unasp), campus Engenheiro Coelho, dentro da filosofia do projeto Vida por Vidas, promove duas vezes ao ano uma oportunidade para que os alunos exerçam solidariedade.

Sem categoria 0 Comentários

Os Adventistas do Sétimo Dia e o Movimento Ecumênico

Documento Oficial A Comissão Executiva da Associação Geral jamais votou uma declaração oficial concernente à relação adventista do sétimo dia com o movimento ecumênico como tal. Foi escrito um livro

Sem categoria 2 Comentários

“Não matarás [o feto]” (Êx 20:13)

Antes de qualquer coisa, quero deixar bem claro que se você um dia optou pelo aborto, porém, arrependeu-se e pediu perdão a Deus pelo seu pecado, Ele já lhe perdoou

3 Comentários

  1. Isak
    janeiro 10, 19:53 Resposta

    Fiquei foi mais confuso, acho q esse ñ era o proposito, queria uma resposta mas ñ vi nenhuma resposta nos comentários.

  2. Franciano Rodrigues
    dezembro 26, 12:32 Resposta

    Boa tarde Professor. Sou adventista mas não me arrisco a dizer nem me convenço quando ouço que Paulo escreveu a epístola aos hebreus. Qual a base bíblica ou histórica que pode nos levar a afirmar quanto a autoria da carta?

Deixe seu Comentário